Procurando Nemo na Grande Barreira de Corais

Procurando Nemo na Grande Barreira de Corais

Atualizado: Terça-feira, 14 Junho de 2011 as 9:30

Incomparável cenário australiano que serviu de inspiração para a animação ?Procurando Nemo? corre o risco de desaparecer por conta do aquecimento global. Conheça razões para visitar o mais rápido possível este paraíso

Snorkel e máscara no rosto, um salto do barco e o cenário da animação ?Procurando Nemo? se torna real. Basta mergulhar nas águas mornas da Grande Barreira de Corais, que se estende por dois mil quilômetros ao longo da costa do nordeste da Austrália, para ver de pertinho a diversificada vida marinha e os corais multicores do filme.

Declarado Patrimônio Mundial da Humanidade, o enorme conjunto de recifes, orgulho dos australianos, faz por merecer a qualificação ?grande? do seu nome. Ele abriga mais de 1.500 espécies de peixes, 360 espécies de corais duros, 5.000 espécies de moluscos, 175 espécies de pássaros. Tem ainda baleias, golfinhos e tubarões.

Uma biodiversidade inigualável, que corre o risco de desaparecer.  Apesar do esforço do governo australiano pela preservação, a Grande Barreira de Corais vem sofrendo com os danos provocados pelo aquecimento do clima e pela contaminação do mar. Isto por conta do aumento da temperatura e da acidez da água que prejudicam significativamente a vida nos corais.

Ainda assim, a beleza das águas deste lado do mundo justifica a longa ? bem longa ?viagem ao país dos coalas e cangurus.

Vá antes que desapareça

A cidade de Cairns, no estado de Queensland, é a principal porta de entrada para quem quer nadar nestas águas. Diversas companhias de barco fazem a viagem até os corais, que são afastados da costa. Para quem quer fazer o passeio de um dia, é preciso encarar o sacolejar das lanchas ou catamarãs por 1h30 a 2h a partir de Cairns.

Os melhores pontos, no entanto, estão mais afastados e para chegar até eles é preciso passar à noite em alto-mar. Independente da distância do trajeto, prepare o remédio para enjoo, há boas chances de ele ser necessário.

Como muitos dos enormes recifes de corais ficam no raso e as águas são cristalinas, só com a máscara e o snorkel dá para vê-los bem. Mas para realmente se maravilhar com o mundo de Nemo, seu pai Marlin e de Dora, o melhor é descer alguns metros abaixo da superfície com cilindro de oxigênio.

Para quem não tem o certificado de profissional, uma possibilidade é fazer o mergulho discovery, em que o aluno passeia  no fundo do mar de braços dados com o instrutor. Antes de entrar na água, uma aula teórica rápida é dada no barco.  

Para os principiantes, respirar com os instrumentos debaixo d?água pode assustar um pouco. Mas é só relaxar para procurar peixes-palhaços escondidos por entre anêmonas, tartarugas marinhas e estrelas do mar.  

veja também