Punta de Mita. O Paraíso secreto onde sonhar pode custar caro

Punta de Mita. O Paraíso secreto onde sonhar pode custar caro

Atualizado: Terça-feira, 19 Abril de 2011 as 11:10

Um lugar idílico, com praias de areias finíssimas e o azul infinito do Mar do Pacifico é o paraíso para os endinheirados, que procuram conforto, segurança e privacidade.     Punta de Mita esta localizada a 45 minutos em direção norte da cidade de Puerto Vallarta, no lado do Mar do Pacifico do México. Antes de se transformar num resort exclusivo para os ricos, Punta de Mita é, antes de tudo, uma das regiões mais importantes para os índios mesoamericanos.

A região conhecida por mesoamerica mexicana esta dividida em cinco regiões históricas que são: as terras altas centrais, onde floresceu a cultura mexica ou azteca, o Golfo do México, com a cultura olmeca, totonaca e chichimeca, a região do Yucatán, com os maias, a região de Oaxaca, com a cultura zapoteca e a região do ocidente com os estados de Sinaloa, Nayarit, Jalisco, Colima, Guanajuato e Guerrero.

Na região ocidental, muitos grupos étnicos se desenvolveram independentemente, mas nenhum deles foi capaz de criar um grande império tão importante como os dos maias ou dos aztecas, povos mais conhecidos nos livros de historia. Essa região ocidental tem vários estados, Punta de Mita esta localizada no estado de Nayarit nas coordenadas 20º latitude norte e 105º longitude oeste. Essa região tem uma topografia bem particular, podendo ser comparada a uma “caixa de ovos”, com montanhas bem altas e vales profundos.

Por essa razão, vários grupos se deslocaram formando outros subgrupos étnicos como os huicholes, os tepehuanes, os mexicaneros, os coras, os tecoxquines, os totorames, os tomatecas, os tecuares, os eztatlan, os coanos, os huayamontas, huacimontones e os cascanes. Existem ainda outros grupos, sendo o mais importante entre eles os huicholes. Pelo fato de serem nômades e o difícil acesso a Sierra Madre, os huicholes conseguiram sobreviver a colonização espanhola mantendo o seu próprio costume e idioma. Os huicholes são cidadãos mexicanos, porem tem o seu próprio governo regido por um imperador. Muitos deles não falam espanhol e tem uma religião bem interessante venerando os animais. Os huicholes são conhecidos no México pela festa que fazem anualmente, que é uma peregrinação de 40 dias a um lugar chamado Uiricuta onde ingerem uma espécie de cacto, o “peyote”. Esse cacto é um alucinógeno, porem o governo mexicano lhes autoriza a participar dessa festa onde o cacto é caçado com arco e flecha, pois segundo eles se o cacto não for caçado pode se transformar num veado e fugir. O veado, por exemplo, é um espírito que simboliza a união dos homens com os seus ancestrais. Os animais são importantes para os huicholes, pois na Natureza eles têm uma razão de existência. Todo o elemento do Universo tem um espírito interagindo com os demais para uma perfeita harmonia.

Durante essa festa, eles pintam o rosto de amarelo representando os vários deuses e fabricam vários objetos artísticos. As pecas de arte representam vários aspectos da cultura huichol. A festa é liderada por um líder espiritual, que teve que “caçar” o cacto cinco vezes. Qualquer pessoa pode ser um líder espiritual ou “marakame”, mas nem todos conseguem completar o ciclo de 10 anos necessário para se tornar um líder. Uma peca artesanal importante para os huicholes é o “sikuli”, que seria o “olho de Deus”. O “sikuli” tem cinco pontos cardeais e é uma peca feita para cada criança, que nasce na nação huichol. O pai da criança fabrica a peca e a entrega como presente aos deuses durante a festa. Quando a criança chega à idade de 5 anos, ela já é “reconhecida” pelos deuses e então pode fazer a sua própria oferenda. Fazer oferendas é um ato muito importante para esses indígenas, pois acreditam que se fizerem oferendas poderão ser recompensados.

Para os indígenas da cultura mesoamericana, a arte sempre teve um grande significado. Por exemplo, o jogo de futebol. Esse jogo era muito importante, pois tinha como propósito mostrar o perigo que o Sol encontrava durante a sua jornada através do plano celeste determinando o caminho da sua destruição. O jogo de bola era conhecido como “ullamaliztli", palavra que deriva da borracha, material usado na confecção da bola, que devia ser movida habilmente pelos jogadores. Esse jogo chegou até a surpreender aos espanhóis. O jogo era realizado numa área especial chamada “tlaxo” e tinha uma forma peculiar parecida à letra l ou uma dupla T. Em ambos os lados das quadras haviam círculos concêntricos, ou “tlaxtemalacatl”, localizados ao norte e ao sul das quadras.

Os jogadores tinham como obrigação de passar as bolas através desses círculos só com o peito e as cadeiras sem tocá-las com as mãos, pois as bolas eram consideradas sagradas. Os times se encontravam na parte oeste e leste da quadra. Quando uma partida era realizada em direção oposta ao Sol, se realizava uma decapitação e o sangue derramado dava vida a terra e ao astro supremo. O mesmo acontecia com o capitão do time ganhador. Era uma honra e um privilégio dar o próprio sangue ou o coração vivo para os deuses.

Punta de Mita, na Baia de Banderas foi um ponto de comércio muito importante entre os povos da Nicarágua, Costa Rica, Honduras, Guatemala, Equador, Panamá, El Salvador e México. Esses povos traziam em pequenos barcos utensílios provenientes dos incas e de outros indígenas mesoamericanos. Não se sabe bem o significado de Punta de Mita. Alguns acham que Punta de Mita ficou conhecida assim devido ao fato de ter topograficamente o formato de uma ponta ou de uma lança. Outros acham que por Punta de Mita ter sido um porto comercial, que eles chamavam de Pontoque, provavelmente venha dai o significado. Outros antropólogos dizem ainda que Punta de Mita venha do termo Mictlán, que em língua indígena é o lugar onde descansam as almas. Foram encontrados varias tombas de 3 metros de profundidade. Os corpos foram achados juntos com figuras de cerâmica, sobretudo o cachorro, que era responsável em levar as almas ate o deus Mictlantecuhtli. Outro objeto de cerâmica importante e o jaguar, que significa guardião da terra.

Punta de Mita é um lugar muito especial com uma flora e uma fauna abundante. Durante os meses de dezembro a começo de marco, as baleias migram do Pólo Norte procurando alimentos. Alguns ecologistas determinaram que a parte norte da Baia de Banderas seja o lugar ideal para que a espécie possa se reproduzir. Nessa mesma época é possível ver as orcas assassinas tentando afogar as pequenas baleias para então come-las. A sobrevivência das pequenas baleias é possível somente pela ajuda da mãe e de outra “baleia amiga”, que continuamente lutam contra as orcas assassinas impedindo que os filhotes sejam afogados. Já nos meses de verão, de junho a setembro, é quando as tartarugas marinhas vêm desovar e, 45 dias depois, os filhotes saem dos ovos rumo a longa jornada de sobrevivência até o mar. Pássaros como tesoureiras, pelicanos, gaivotas, ganso-patola de pata azul e outras espécies podem ser vistas no céu azul-celeste. É possível também avistar o barulhento pássaro “chachalaca” e as iguanas tomando sol na praia. Para os surfistas, a região e ideal para esse tipo de esporte. As praias Sayulita, Punta de Burro, entre La Cruz de Huanacaxtle e Punta de Mita, Destiladeras e Higuera Branca são excelentes opções.

Four Seasons Resort Punta de Mita

Que tudo para o rico é melhor isso já se sabe ha muito tempo. O rico dorme em roupas de camas de 1.000 fios em puríssimo algodão egípcio provenientes da loja Porthault em Paris, as comidas vêm da loja Hediard ou Fauchon e a bolsa de crocodilo da loja Hermès. Tudo para o rico é melhor e, quando se trata de férias, é lógico que os endinheirados vão escolher os lugares mais exclusivos da face da terra. Temos que lembrar que para que o rico fique deslumbrado, o hotel tem que ser mais do que maravilhoso, pois só maravilhoso não e suficiente. A luxuosa cadeia hoteleira canadense Four Seasons então não mediu esforços na busca de um lugar para agradar ao hóspede exigente. Localizado dentro de uma floresta com vista de cartão-postal para o Mar do Pacifico, na Baia de Banderas, a terceira maior baia natural do mundo, a cadeia constrói um hotel numa área de 607 hectares de floresta virgem com 141 quartos e 32 suítes. Todos os quartos e suítes são chamados de “casitas” e são decorados em típica arquitetura mexicana. Todas as “casitas” oferecem todo o conforto moderno e a maioria dispõe de um terraço ou de um balcão com vista para o mar.

A suíte presidencial impressiona qualquer um. Não há uma pessoa que não fique deslumbrada com a riqueza e o luxo das acomodações. A suíte Coral, como é conhecida, foi decorada pelo famoso arquiteto mexicano Diego Villasenor, considerado um dos 100 melhores arquitetos do mundo pela revista Architectural Digest. Com 851 metros quadrados de espaço habitável, o arquiteto utilizou os melhores produtos na construção das cinco suítes, que fazem parte do complexo. Alem dos quartos, da sala de cinema, da praia particular, dos banheiros externos, a sua própria piscina é um mordomo 24 horas a disposição, um dos banheiros tem a parede toda revestida em madrepérola e as pias em ônix amarelo combinando com os cosméticos da chiquérrima casa italiana Acqua di Parma.

Nessa suíte ficaram hospedados Britney Spears com as crianças e uma amiga e, numa outra ocasião, John Travolta, que vem para o resort pilotando o seu próprio avião. Comer no hotel é uma viagem culinária pelo Pacifico. No restaurante Ketsi, pilotado pelo famoso Chef Richard Sandoval, hospedes podem tomar um magnífico café-da-manhã, almoçar e jantar. O cardápio do jantar é a “Nova Cozinha Mexicana” com um cardápio de comida mexicana variada, porém modernizada. O restaurante Bahia, de frente para o mar, e uma outra opção, onde é possível comer os peixes fraquíssimos, que são trazidos de manhã e o hospede pode então escolher como quer que o prato seja preparado na hora de jantar. Chegando um pouco mais cedo é possível observar um pôr-do-sol impressionante. Já no restaurante Aramara, os hospedes podem comer comida asiática. Os sushis e os sashimis são de desmanchar na boca.

Para os amantes de esportes, o hotel tem um campo de golfe de 18 buracos desenhado por Jack Nicklaus. O green 3B foi construído sobre uma ilha no meio do mar. O “tee” fica na terra firme e o jogador tem que arremessar a bola a uma distancia de 199 jardas. Caso a maré esteja alta, o hotel dispõe de carro-anfíbio para transportar os jogadores até o “green”. Além do campo de golfe e das 10 quadras de tênis, o hotel tem varias piscinas, uma delas e a piscina principal com vista cinematográfica para a Baia de Banderas. Para os que queiram mais privacidade, o hotel acaba de construir uma piscina para adultos e 10 cabanas. As cabanas podem ser alugadas durante o dia inteiro e tem todo o tipo de conforto, desde a televisão plasma, a geladeira com vários tipos de bebidas aos diversos tipos de bronzeadores e protetores solar. A comida servida na área da piscina de adulto e das cabanas é super light, como os deliciosos sushis e as fresquíssimas frutas. Caso o hospede não queira fazer atividades, a outra opção é deitar sobre as bóias coloridas e ir “navegando” calmamente por um “rio” passeando pela floresta do hotel. Se tudo isso ainda não for suficiente, o SPA Apuana oferece os melhores tipos de tratamentos, como o Punta de Mita Signature Massage, que é uma massagem onde a terapeuta utiliza azeite de sálvia e tequila. A sala de ginástica é completa com aparelhos da empresa Technogym. A mordomia não para ai, o hotel tem um iate de 18 metros, que pode ser alugado para passeios pela baia. Durante toda a semana, o centro cultural organiza passeios e atividades, que pode ser uma aula sobre tequila ou sobre a cultura de Punta de Mita , cultura mexicana ou ainda aulas de espanhol. Para os pais que precisam de repouso, o Four Seasons tem um clube chamado Kids for All Seasons, onde as crianças podem brincar e aproveitar as feria com as babas do hotel.

Enfim, sonhar é possível, mas que seja de olho aberto senão a viagem pode lhe custar muito caro. Tudo que e bom, geralmente custa caro, mas para um bom sonhador... pouca palavra basta.

As diárias no hotel Four Seasons Resort Punta de Mita variam de US$ 415.00 para os quartos superiores a US$ 17.000,00 para a suíte presidencial. Maiores informações visitem o sitewww.fourseasons.com   ou no telefone + 52 3 291-6000     

veja também