Reunião discute próximas etapas para a Copa do Mundo no Brasil

Reunião discute próximas etapas para a Copa do Mundo no Brasil

Atualizado: Terça-feira, 9 Junho de 2009 as 12

O vice-governador do Paraná, Orlando Pessuti, esteve reunido, ontem, 8 de junho, com o Comitê Organizador da Copa do Mundo da Federação Internacional de Futebol (Fifa) no Brasil. Participaram do encontro, no Rio de Janeiro, os representantes das 12 cidades-sedes escolhidas para os jogos. O encontro contou com a participação do ministro do Esporte, Orlando Silva, e o presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo Brasil 2014, Ricardo Teixeira.

A reunião esclareceu eventuais dúvidas referentes a aspectos técnicos, jurídicos e financeiros, associados à construção ou reforma dos estádios, e deu ênfase às obrigações descritas no termo de compromisso, além do que foi levantado nas visitas da Fifa e do Comitê. "Estamos correndo contra o tempo e, a partir de agora, e todos os esforços devem ser concentrados", afirmou Pessuti.

Segundo Pessuti, a parceria entre as três esferas de governo é fundamental para o êxito no evento. "As arenas deverão ser de responsabilidade dos investidores privados, e o setor público deverá se dedicar às obras de infraestrutura urbana". Ele falou ainda que, por sugestão do ministro Orlando Silva, os governos estaduais poderão funcionar como garantidores ou fiadores, para que empresas privadas se habilitem em financiamentos, como por exemplo, no BNDES.

O ministro Orlando Silva salientou que a realização da Copa do Mundo no Brasil exigirá grande dedicação de todos e que o presidente Luis Inácio da Silva já criou um comitê interministerial para acompanhar as obras. De acordo com Pessuti, está prevista para os próximos dias uma reunião entre os governos federal, estaduais e municipais, promovida pelo ministro Orlando Silva.

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador da Copa, Ricardo Teixeira, disse que o Brasil "passou no vestibular" e que, nos próximos cinco anos, todos deverão se dedicar ao máximo. De acordo com Carlos Geraldo Langoni, presidente da comissão financeira do Comitê Brasileiro, o comitê tem cerca de US$ 407 milhões, via Fifa, para a realização do mundial.

Ainda na próxima quarta-feira, 10 de junho, haverá uma reunião, no Rio de Janeiro, com os técnicos dos comitês estaduais que contará com a participação de Alcidino Bittencourt Pereira, presidente da Coordenação da região metropolitana de Curitiba (Comec), e de Suzana Andrade, supervisora de informações do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

veja também