Rio de Janeiro sem praia pode ser uma ótima viagem

Rio de Janeiro sem praia pode ser uma ótima viagem

Atualizado: Quinta-feira, 6 Agosto de 2009 as 12

O Rio de Janeiro é famoso por suas praias. Mas, em épocas mais frias e chuvosas, a Cidade Maravilhosa também pode ser uma viagem inesquecível.

Sim, a garota é de Ipanema. Sim, a princesinha do mar é Copacabana. Mas o Rio de Janeiro pode ser uma viagem inesquecível também em tempos mais frios e de chuva. Se você só tiver a chance de conhecer a cidade nessa época, não desista. O Rio tem muitas outras atrações longe da areia.

Inspiradora pelo simples fato de ser um reduto de poetas, boêmios, artistas e intelectuais, a cidade - antigo abrigo da família imperial portuguesa - exibe contrastes fortes entre a arquitetura clássica de influências portuguesa, inglesa e francesa, que ainda está retratada em prédios da região central. O centro histórico, totalmente preservado, é uma ótima pedida de passeio para os apaixonados por história e arquitetura.

Além disso, há os vistosos e modernos edifícios que impulsionam a imagem futurista do local, tendo como marco obras do arquiteto Oscar Niemeyer.

Pontos obrigatórios

O frio não vai impedir você de visitar os pontos mais que obrigatórios no Rio. Não dá para ir à praia, mas nada pode ser desculpa que impeça a sua visita ao Pão de Açúcar (R$ 44 por pessoa, sendo que moradores do Rio pagam meia, mediante algum comprovante de residência) e Cristo Redentor. Sim, é como ir a Paris e não subir a Torre Eiffel. Os passeios só devem ser evitados se o tempo estiver muito fechado. Subir e não ver nada é realmente frustrante.

Quem quiser ter uma visão maior da cidade, e só puder visitar um dos pontos, deve optar pelo Cristo, que oferece uma visão maior (zona sul e zona norte). Situado no Morro do Corcovado, uma montanha de 700 metros, a visita ao Cristo Redentor é imperdível.

O passeio ida e volta custa R$ 45 (crianças até 5 anos no colo não pagam). A subida dura 17 minutos e os visitantes podem ficar lá em cima o tempo que quiserem. O trem sai de meia em meia hora. Mais informações: (21) 2558-1329.

Arte

Os fãs de arte não ficarão sem opção no Rio de Janeiro. Com mais de 50 museus e acervos que remontam aos 500 anos do Brasil, a cidade tem muitos atrativos para os que quiserem um banho de conhecimento.

O Museu de Arte Moderna, o Museu Nacional de Belas Artes e o Centro Cultural do Banco do Brasil são alguns dos locais que atualmente recebem mostras internacionais semelhantes aos melhores museus do mundo.

Santa Teresa

Alguns o chamam de Montmartre ou Soho carioca. O fato é que o bairro de Santa Teresa vale uma bela visita. Entre suas atrações estão cerca de 50 ateliês de mais de 80 artistas plásticos, localizados em casario antigo do início do século XX. Eles abrem suas portas à visitação do público, ao longo do ano, com obras que vão desde o clássico ao que há de mais contemporâneo.

Rio nordestino

Não importa: pode estar calor ou frio. Mas na Feira de São Cristóvão (ou Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas) sempre tem de sobra o bom e velho calor humano nordestino. Reduto dos nordestinos que vivem e passeiam pelo Rio de Janeiro, a feira reúne cerca de 700 barracas fixas. Nelas está disponível o melhor da cultura do Nordeste: culinária, artesanato, trios e bandas de forró, literatura de cordel, entre outras coisas. A feira funciona às terças, quartas e quintas, das 10 às 18h; e das 10h de sexta até 20h de domingo.

Perto dos animais

Ir ao Jardim Zoológico do Rio de Janeiro é outra boa opção que independe da estação. Localizado no Parque da Quinta da Boa Vista, um belíssimo lugar para passear e desfrutar de tranquilidade, o zoológico foi casa do famoso Macaco Tião, morto em dezembro de 1996. Há estátua para Tião por lá e hoje em dia outras "estrelas", como a girafa, o elefante e o urubu-rei, atraem a atenção dos visitantes. Ótimo passeio para quem visita o Rio com crianças. Funciona de terça a domingo, das 9 às 16h30. Os ingressos custam R$ 6. Estudantes pagam meia e pessoas com mais de 60 anos, crianças de até um metro de altura e deficientes físicos com até dois acompanhantes entram de graça.

Jardim Botânico

Rua Jardim Botânico, 1008. Jardim Botânico. Telefones: (21) 3874-1808 / (21) 3874-1214.

Criado em 1808, por Dom João VI, o Jardim Botânico, tem 8200 espécies de plantas e flores do Brasil e do mundo. Ocupa uma área de 137 hectares, no bairro que leva seu nome, onde fica, ainda, dois museus: o Botânico (terça a domingo, das 11 às 17h) e a Casa dos Pilões (terça a domingo, das 8 às 17h), antiga fábrica de pólvora onde aconteceram escavações arqueológicas. O visitante pode também passear pelas estufas, orquidário, entre outras atrações.

Fazendas históricas

Quem puder sair da capital pode aproveitar para conhecer o Vale do Paraíba. Lá as imponentes fazendas da época do Ciclo do Café estão abertas à visitação e mostram particularidades dos "barões do café", os empreendedores de um dos importantes ciclos econômicos do Brasil no passado.

Negócios

O Rio de Janeiro é segunda cidade com o maior número de eventos e feiras de negócios no Brasil, só ficando atrás de São Paulo, maior cidade do País. Ou seja, ela também atrai visitantes que nem terão tempo de pisar na areia das suas praias.

A cidade é bem estruturada e apresenta excelente malha aérea, ligada diretamente a 20 países, via aeroporto internacional. A rede hoteleira oferece 21.088 leitos. Além disso, há diversas empresas internacionalmente reconhecidas para montagem, organização, operação e infraestrutura de eventos.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também