Rio retoma mirantes e engendra futuro

Rio retoma mirantes e engendra futuro

Atualizado: Quinta-feira, 18 Agosto de 2011 as 10:58

Em meio a incertezas, o Rio recupera sua autoestima, mesmo que num caminho cheio de solavancos. A cada dia, um megaprojeto é apresentado com pompa. Entre eles, o Porto Maravilha (portomaravilhario.com.br), projeto de revitalização da zona portuária, é a menina dos olhos das autoridades.

O projeto prevê ampla reforma urbanística para a região e inclui a construção do Museu do Amanhã, do arquiteto catalão Santiago Calatrava, e o MAR, Museu de Arte do Rio, ambos na praça Mauá. Também está prevista a construção de um teleférico ligando a Cidade do Samba ao morro da Providência. Outro museu, o da Imagem e do Som, está sendo erguido na avenida Atlântica, em Copacabana, no local da antiga danceteria Help.

Mais importantes ainda são as obras viárias em andamento, necessárias numa cidade cujas principais vias já estão saturadas. Tais obras devem mudar a cara e o mapa da cidade. São vias como a TransOeste, a TransOlímpica e a TransCarioca, além do Arco Metropolitano, que prometem aliviar o trânsito nas diferentes regiões da cidade.

Além delas, a linha 4 do metrô está em construção e, quando pronta, finalmente ligará a zona sul à Barra da Tijuca. Fala-se na demolição da Perimetral, na duplicação da avenida Niemeyer, na mudança de local da rodoviária... Sairão todos esses projetos do papel a tempo ou não?

RETOMADA DAS VISTAS

O Rio também vem ganhando novos ângulos e mirantes. São locais com vista privilegiada em comunidades pacificadas, cujo acesso, antes das UPPs, ficava restrito aos moradores da região. Lugares que nem mesmo os demais cariocas tinham a oportunidade de visitar, como as vielas íngremes do morro Dona Marta, agora estão acessíveis a todos.

O mirante da Paz, no complexo de elevadores que liga as comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo ao bairro de Ipanema, é outra das "novas vistas" que o carioca curte e festeja atualmente.

Não é difícil prever que os novos teleféricos do complexo do Alemão passarão a fazer parte dos roteiros turísticos mais alternativos por essa metrópole edificada entre o mar e a montanha.

Mas, enquanto o futuro próximo não chega, o Rio de Janeiro continua sendo a cidade mais visitada no hemisfério Sul. É bem verdade que falta muito para adequar e atualizar toda a infraestrutura turística da cidade, de aeroportos à rede hoteleira. Mas a tendência para os próximos anos é de um grande incremento nas estatísticas de chegadas internacionais.

Tanto que algumas companhias aéreas, como a Emirates Airlines, já confirmaram novos voos diretos para o Galeão a partir do fim deste ano. Outras, como a Lufthansa e a Alitalia, retomam voos diretos, enquanto a British Airways aumentará a frequência de voos para a cidade.

Visitar o Rio nesse momento é como participar das transformações que estão por vir. É também a oportunidade de aproveitar o que a cidade tem de melhor, sua liberdade e sua irreverência, antes que fique impossivelmente cara.

veja também