Roraima: um paraíso natural a ser explorado no Brasil

Roraima: um paraíso natural a ser explorado no Brasil

Atualizado: Sexta-feira, 6 Novembro de 2009 as 12

Roraima, o estado mais ao norte do Brasil, já ganhou notoriedade na mídia nacional nos anos 80 e 90 com a corrida por ouro e diamante no período do garimpo e com as grandes queimadas, que destruíram parte da vegetação em 1998 e 2003. No ano de 2008, novamente foi manchete, desta vez com o caso dos conflitos na reserva indígena Raposa Serra do Sol.

Já os aventureiros de plantão, não pensam duas vezes em apontar o Monte Roraima como o principal destino turístico da região. Certamente a montanha é a grande coqueluche local, mas uma viagem pela capital Boa Vista e pelo interior, reserva muitas surpresas aos viajantes, que encontrarão comunidades perdidas no tempo, reservas indígenas, trilhas com os mais diversos níveis de dificuldade, além de muita aventura e adrenalina com os esportes de aventura.

Quem chega a Boa Vista pelo ar se surpreende com a vegetação local, já que aos poucos a grande Floresta Amazônica, que impera com suas árvores de copas altas, começa a ser substituída por uma mata cerrada. A primeira impressão é que houve desmatamento, mas na verdade trata-se das savanas, regionalmente conhecidas como "lavrado", caracterizado pelas gramíneas, alguns arbustos e árvores esparsas, como os buritizais.

Vizinhos

Roraima faz fronteira com a Guiana, com a Venezuela e se limita com os estados do Amazonas e Pará. O fato de ter sido elevada à condição de estado apenas em 1988, possuir inúmeras porções de reservas indígenas e apenas uma rodovia para fazer a ligação com o resto do país, fez com que o progresso chegasse de forma lenta.

A cidade é planejada e possui boa organização, com poucos semáforos, trânsito que flui sem engarrafamentos e motoristas educados que respeitam os pedestres. Também não se vê lixo jogado ao relento e, segundo os moradores, a educação e a saúde pública funcionam bem, graças às boas administrações municipais ao longo dos anos.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também