Saiba mais sobre Chapelco (Argentina)

Saiba mais sobre Chapelco (Argentina)

Atualizado: Quarta-feira, 20 Maio de 2009 as 12

Chapelco é um centro de esportes de inverno localizado a 20 Km de San Martín de los Andes . Oferece boa variedade de pistas, que são em grande número e de todos os níveis de dificuldade. O seu imponente marco natural é um bosque de lengas que acompanha o traçado das pistas. Vulcões, lagos e montanhas completam uma paisagem única, onde se usufrui de um contato muito próximo com a natureza.  

As alternativas de passeios variam. Desde passeios com motos para neve, trekking com raquetes a visitas ao Snow Park, repleto de saltos. Paradores, refúgios e restaurantes permitem a degustação delícias regionais.

Com uma altura de 1.940 metros, possui uma largura de pista de 5,3 Km. O ângulo de inclinação de suas pistas varia de 20° até 45°, oferecendo aos seus apreciadores uma gama de dificuldades, em 20 pistas habilitadas para esqui e snowboard.

Dados do Cerro Chapelco - ideal para snowboard ou ski entre junho e agosto

Altitude: 1.200 metros na base e 1.960 metros no topo

Ski-Lifts: 12 teleféricos

Pistas:

Total de 31 pistas (45 km)

Desnível: 730 metros

Expert: 20%

Avançado: 30%

Intermediário: 25%

Principiante: 25%

Principais atrações

Cerro Chapelco: dentro do Parque Nacional Lanín, a apenas 14 km de San Martín de los Andes, está a tradicional estação de ski Chapelco. Reconhecida pela paz e tranqüilidade que transmite aos seus visitantes, tem modernos meios de elevação e pistas de todos os níveis que desafiam desde os principiantes até os esquiadores mais experientes. Sua altitude na base é de 1.250 metros e no pico 1.980 metros. Possui 22 pistas, sendo 20% para experts, 30% nível avançado, 25% nível intermediário e 25% para principiantes. Além disso, são 12 ski-lifts funcionando das 9h00 às 18h00.

Lago Lácar: o Lago Lácar é um dos espelhos d'água mais importantes de San Martín de los Andes. Com 50 km² de superfície, forma belas praias dentre as quais se destacam Catrite e Quila Quina, que estão a 4 e a 17 Km do centro da cidade, respectivamente. Quila Quina é famosa pelos bosques de vegetação nativa ao seu redor e em ambas é possível praticar esportes náuticos e aquáticos, além de desfrutar de passeios em barcos. Há restaurantes e lojas de artesanato mapuche em seu entorno.

Estação de Captura e Reprodução de Peixes: à beira do Lago Lácar, situa-se este projeto ambiental que visa aumentar a efetividade reprodutiva de algumas espécies de peixes. As visitas podem ser monitoradas, quando um guia explicará os objetivos e funcionamento das etapas do projeto, e, dependendo do dia, pode-se acompanhar a captura e o processo de desova dos peixes. Aberto de 3ª-feira a domingo, das 10h00 à 12h00 e das 15h30 às 17h30. Das 11h00 às 17h00 é possível agendar visitas monitoradas.

Mirante Arrayan: durante todo o ano, é possível visitar este mirante de onde se tem uma vista belíssima da cidade de San Martín de los Andes e do Lago Lácar.

Parque Nacional Lanín: localizado na província de Neuquén, a 24 Km de San Martín de los Andes, possui variadas trilhas, de diferentes graus de dificuldade, como as que conduzem ao Escorial - memória de uma gigantesca erupção do vulcão Ayen Niyeu, às Termas de Lahuén-Co, ao Lago Tromen, ao Lago Rucachoroiao, ao pé do Vulcão Lanín - cuja ascensão é uma atração a parte. É recomendável informar-se na sede do Parque as condições dos caminhos, principalmente no inverno, seus horários e restrições. A extensa área que ele abrange proporciona atividades como pesca, caça, passeios de barco. O Parque está inserido no circuito dos Sete Lagos, que une a cidade de San Martín de los Andes à Villa la Angostura.

Vulcão Lanín: é um vulcão inativo de 3.776 metros de altura em forma cônica. O cume está coberto de neve e gelo durante o ano todo. As espécies florestais predominantes em seu entorno são a lenga, o mire e a araucária.

Reserva Natural do Centenário: criada com o objetivo de preservar o entorno paisagístico de bosques ciprestes (Austrocedrus chilensis), localiza-se no Cerro Comandante Díaz. Há áreas recreativas com jogos infantis, local para pic-nic com mesas, bancos e grelhas, além de um mirante de onde se avista a cidade de San Martín de los Andes, o Lago Lácar e o Cerro Bandurrias.

Vale Lembrar

Segurança: escolha as pistas de acordo com o seu nível de prática. Existem diversas pistas para os mais variados níveis, de fácil a difícil. Siga sempre o mapa de pistas e respeite as normas de segurança e sinalização das pistas.

Visto: brasileiros não precisam de visto para entrar no país.

Equipamentos específicos para Esqui:

- ROUPAS: uma peça (macacão) ou duas (jaqueta e calça). Devem ser totalmente à prova de água e vento. Existem tecidos modernos que isolam o corpo, preservam a temperatura interna e facilitam a ventilação.

- LUVAS: um dos acessórios mais importantes. Existem na versão com dedos separados e aquelas que só tem um espaço separando o polegar. O importante é que sejam bem quentes, IMPERMEÁVEIS, e que o punho seja longo e possa ser bem ajustado para impedir que a neve entre. Para quem sente muito frio, o ideal é usar ainda uma luva de fleece por baixo.

- MEIAS: atualmente exploram materiais que preservam o calor e facilitam a ventilação, impedindo que os pés transpirem e fiquem úmidos. Além de quentes, devem ser anatômicas e com proteções para as diferentes partes e articulações dos pés, reduzindo a chance de lesões. Existem meias específicas para a prática de esqui que podem ser adquiridas em lojas especiais, mas uma boa meia de caminhada já é suficiente.

- BOTAS: se você já é um esquiador relativamente freqüente, as botas são o primeiro equipamento mais caro que se deve comprar. O par de botas precisa estar bem confortável e adaptado aos pés, o que facilita muito a vida do esquiador. Vale a pena alugar uma bota de qualidade superior e pagar um pouco mais caro. Experimente vários modelos. As botas podem ser ajustadas e em geral, é necessário palmilha. Para alugar, procure alugar em lojas próximas às pistas, pois caso tenha que trocar, será fácil.

- ESQUIS: os mais largos são bons para neve bem fofa e esqui fora de pista. Os mais estreitos, com margens bem afiadas, são bons para esquiar em pistas duras e cobertas de gelo. Há também esquis para corrida e manobras radicais. Se você não for especialista, vale optar por esquis mais versáteis, que se adaptam bem a qualquer terreno. Como no caso das botas, vale a pena alugar esquis de qualidade superior e pagar um pouco mais caro.

- BASTÕES (poles): ajudam o esquiador a aprimorar sua técnica, em especial na hora de fazer as curvas e impor um ritmo. Para saber se o tamanho está correto, segure o bastão e apóie a ponta no chão. A flexão do braço deve ficar num ângulo de 90º.

- CAPACETE: deve sempre ser usado, por questão de segurança. Por fora, deve ser rígido e por dentro, deve estar preparado para absorver e reduzir um eventual impacto. Use um gorro por baixo, para esquentar.

- ÓCULOS DE ESQUI (googles): protegem a região dos olhos do vento, do frio e do sol (escolha um com proteção UVA e UVB) e melhoram bastante a visibilidade. Imprescindível! Óculos de sol não servem quando tem neblina, está nevando ou faz frio.

Obs.: Para quem não possui equipamentos ou roupas específicas, há locais para aluguel ou compra no próprio centro de esqui, ou se preferir, pode adquirir na loja Rossignol, a única especializada em esqui no Brasil. Endereço: Rua Brigadeiro Luís Antônio, 1343 - 5º andar - Fone: 3177-6664. Lembramos que as promoções não encontram-se no site, somente na loja. Visite: www.rossignol.com.br .

veja também