Sambódromo no Rio terá mais 15 mil lugares no Carnaval de 2012

Sambódromo no Rio terá mais 15 mil lugares no Carnaval de 2012

Atualizado: Terça-feira, 14 Dezembro de 2010 as 12:52

A Prefeitura do Rio divulgou nesta terça-feira que o sambódromo da cidade ganhará mais 15 mil lugares até o Carnaval de 2012. Com intenção de ampliar a área para sediar competições das Olimpíadas de 2016, como provas de tiro com arco e também a largada da maratona olímpica, as obras para ampliação da Sapucaí começam logo após o Carvaval de 2011 e estão previstas para terminar em dezembro do mesmo ano -- para não prejudicar os ensaios técnicos das escolas de samba.

Atualmente as arquibancadas comportam 60 mil pessoas. Com as obras, a passarela do samba terá 75 mil lugares.

No projeto apresentado pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), a Marquês de Sapucaí retomará o traçado original desenhado por Oscar Niemeyer há quase 30 anos. O arquiteto, que completa 103 na quarta-feira (15), afirmou, em um vídeo apresentado pela prefeitura, que esta é uma obra importante, já que se passaram 27 Carnavais desde a inauguração do sambódromo, em 1984.

"É um resgate de uma obra arquitetônica fantástica. Poder entregar isso para cidade, qualificando os desfiles das escolas de samba ainda mais, é um presente para o Rio", disse o prefeito.

O secretário de Urbanismo, Sérgio Dias, afirmou ainda que se forem contados os espaços dos novos camorotes a capacidade máxima de público no sambódromo pode chegar a 77.800.

No local da antiga fábrica da Brahma, no setor 2, será construído três novos módulos de arquibancadas, camarotes e frisas, incluindo áreas para a instalação de banheiros públicos, acessos portadores de deficiências, postos médicos, sala de segurança, áreas de serviço e um espaço destinado para os jurados. Em troca, a cervejaria poderá construir uma edificação de até 80 metros de altura em parte do terreno.

A fábrica da Brahma, ao lado do sambódromo, foi inaugurada em 1888 e funcionava quando a passarela do samba foi construída, em 1983. As obras de ampliação, estimadas em R$ 30 milhões, serão pagas pela Ambev, não havendo custos aos cofres públicos.

"A partir de 2011 vamos ter uma obra que vai criar mais estacionamentos, melhoria das condições de geração de renda, emprego e oportunidades para o bairro. Aqui, afinal, ficarão escritórios, provavelmente hotel e restaurante. É um conjunto de melhorias. Pode jurar que o Carnaval de 2012 será feito no novo sambódromo", afirmou o diretor de Relações Sócio-Ambientais da Ambev, Sandro Basilli.

veja também