Santa Catarina proporciona belos locais para escalada e passeio de bike

Santa Catarina proporciona belos locais para escalada e passeio de bike

Atualizado: Quinta-feira, 29 Abril de 2010 as 12

Santa Catarina já é destino certo quando o assunto é lindas praias, surfe e uma natureza exuberante. No mês de março descobri que o estado oferece ainda mais para quem gosta de uma boa aventura sob duas rodas. Trata-se do Circuito Vale Europeu de Cicloturismo. O trajeto de 300 km foi todo planejado para percorrer regiões pouco habitadas, quase sem transito de veículos e com forte influência cultural da colonização alemã, italiana e polonesa. O circuito é proposto para ser realizado em sete dias, são cerca de 45 km por dia, com local de saída e chegada pré-definidos, geralmente pousada ou hotel de alto nível.

A idéia de fazer um pedal pelo interior de Santa Catarina surgiu com a notícia que iria acontecer na região de Rio dos Cedros, que abriga o Circuito Vale Europeu, um encontro de escaladores. Pedalar para escalar. Perfeito! A escaladora Luana Hudler, de Joinville, sempre parceira, aceitou a empreita e saímos da cidade, numa quarta feira chuvosa, com a intenção de pedalar um trecho do circuito Vale Europeu e chegar na sexta feira no Morro do Rio Bonito para encontrar a turma e escalar.

O percurso completo do Circuito Vale Europeu pode ser visto no site www.circuitovaleeuropeu.com.br. Optamos por iniciar o percurso na cidade de Indaial e conhecer o trecho que, segundo informações, transcorria por uma área mais rural e menos habitada. Saindo de ônibus de Joinville chegamos em Indaial às duas horas da tarde de quarta feira, nosso objetivo era realizar o trecho até Rodeio (proposto no circuito como roteiro do terceiro dia). Chegamos em Rodeio no final da tarde, mas acabamos fazendo um caminho diferente do proposto, o que nos fez subir uma serra bem íngreme, inclusive não provamos nada igual em todo o trajeto. Em Rodeio optamos por passar a noite acampada no quintal da casa de moradores. Dona Ana Maria e Seu João José, além de pouso, nos ofereceram café da manhã e muita prosa.

Subida

No segundo dia começamos a pedalar as oito da manhã e já de cara toca para cima no Morro Ipiranga. Durante os 40 km do dia passamos por um povoado com mais de cinqüenta estátuas de santos e um Cristo Redentor, lindos rios, grupos de crianças voltando da escola de bicicleta e muita plantação de pinus. Com o sol a pino chegamos em Dr. Pedrinho e atacamos um super x-salada, e depois disso só foi possível passar o resto do dia sentada na praça da cidade, na sombra, é claro. Em Dr. Pedrinho existe um hotel fora do circuito que oferece cama e banho por R$ 20,00 por pessoa, ficamos por aí mesmo.

Com o objetivo de chegar no Morro do Rio Bonito no final do dia e com a idéia de ficar a sombra no horário do sol forte, começamos o pedalar antes do sol nascer. As oito da manhã já tínhamos subido a primeira serra do dia. Fizemos um break no Paradeiro da Montanha, na região chamada de Alto Cedro. Uma linda pousada que abriga pessoas tão lindas quanto. Os proprietários nos receberam muito bem e ganhamos até jarra de limonada geladíssima. Descansamos no deck a beira do Lago Pinhal. Dali, descemos para Palmeiras, saindo do proposto pelo circuito, mas nos economizou uns 20km de pedalada e garantiu o jantar e o pernoite aos pés do Morro Bonito, na fazenda do seu Bona.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também