São Paulo não pára - parte I

São Paulo não pára - parte I

Atualizado: Quarta-feira, 23 Janeiro de 2008 as 12

No próximo 25 de janeiro a cidade de São Paulo completa 454 anos, sendo a cidade mais populosa do Brasil e da América Latina. A população recenseada em 2007 no município foi de 10.886.518 habitantes. É considerada a segunda cidade mais rica da América do Sul, perdendo apenas para Buenos Aires.

A cidade enfrenta problemas comuns a outras metrópoles: um exemplo é o excesso de automóveis que circulam em suas avenidas (média de um veículo para cada dois habitantes), 6 milhões de unidades somente na capital, e a segunda maior frota de helicópteros do mundo, superada apenas por Nova Iorque. A variedade oferecida em seus restaurantes e lanchonetes é resultado, em parte, da contribuição de imigrantes de diversas partes do mundo. Com uma cultura bastante heterogênea, resultado da diversidade de extratos sociais (econômicos e culturais) nela presente. A colônia japonesa, por exemplo, prepara uma grande festa para 2008, ao comemorar o "Centenário da Imigração Japonesa".

É importante observar que apesar de suas grandes dimensões e conseqüente fluxo de capital, São Paulo sofre com a má distribuição de renda característica do país. A região próxima ao centro é rica e desenvolvida, como as luxuosas boutiques da Rua Oscar Freire, com griffes internacionais de renome. Já nas áreas periféricas, notamos carência na infra-estrutura e precaridade urbanística e habitacional.

Os três principais rios que cruzam a Cidade de São Paulo são o Tietê, o Pinheiros e o Tamanduateí. Tais rios foram protagonistas em momentos diversos do processo de desenvolvimento da cidade: seja em sua formação, seja no período de industrialização.

Além de ser o maior centro de produção e o maior mercado consumidor do país, São Paulo também é um grande entroncamento rodoviário, e faz a ligação Norte-Sul do Brasil. Partem dela diversas rodovias, como a Rodovia Presidente Dutra, para o Rio de Janeiro, Rodovia Ayrton Senna, para o Vale do Paraíba; Rodovia Fernão Dias, para Belo Horizonte; Rodovia dos Bandeirantes, para Campinas; Rodovia Anhangüera, para Uberaba (Minas Gerais); Rodovia Castelo Branco, para Sorocaba; Rodovia Raposo Tavares, para a divisa do Mato Grosso do Sul; Rodovia Régis Bittencourt, para Curitiba; Rodovia dos Imigrantes e Rodovia Anchieta para a Baixada Santista. É servida pelos aeroportos Campo de Marte, Congonhas e Cumbica, sendo que este último também opera vôos internacionais e de carga.

Turismo

A cidade recebe anualmente 10 milhões de visitantes, entre os que vêm a negócios e/ou lazer que se hospedam na rede hoteleira de São Paulo. Desses, 16,54% são estrangeiros e 83,46% são brasileiros. Dos turistas internacionais que visitam São Paulo, 38% são da Europa, 30% dos EUA e Canadá, 21% do Mercosul, 7% da América Latina e 4% são da Ásia. Do total de turistas brasileiros e estrangeiros que a cidade recebe, 73,5% vêm a negócios, 13,7% a lazer e 12,8% por outros motivos. No Brasil os números são respectivamente 27,9% a negócios, 57% a lazer e 15,1% por outros motivos. Permanência média na cidade de São Paulo é de 2,3 dias. Gasto diário dos turistas: R$ 224,381.  

Eventos

A capital sul-americana de feiras de negócios realiza 90 mil eventos por ano, que geram: Um evento a cada seis minutos Cerca de 500 mil empregos diretos e indiretos 120 das 160 grandes feiras do Brasil Uma feira de negócios a cada três dias 75% do mercado brasileiro de feiras de negócios R$ 2,4 bilhões de receita ao ano R$ 700 milhões em locação de área para exposição R$ 700 milhões em serviços Cerca de 600 mil m² para realização de eventos Só o Anhembi tem em torno de 360 mil m² R$ 8 bilhões em viagens, hospedagem e transporte terrestre e aéreo Movimenta 29 mil empresas expositoras Circulam pelos eventos 4,3 milhões de pessoas, entre profissionais e compradores, sendo 45 mil compradores estrangeiros   Os setores que mais realizam feiras, reuniões e eventos na cidade são, pela ordem, médico, científico, tecnológico, industrial e educacional.

Leia também:

São Paulo não pára - parte I São Paulo não pára - parte II São Paulo não pára - parte III  

Fontes: Wikpédia e São Paulo Convention & Visitors Bureau

Postado por: Claudia Moraes

veja também