São Paulo valoriza seu Circuito Turístico Entre Serras e Águas

São Paulo valoriza seu Circuito Turístico Entre Serras e Águas

Atualizado: Sexta-feira, 25 Setembro de 2009 as 12

Até 30 de setembro, empresários de restaurantes e hotéis - chamados tecnicamente de A e B (Alimentos e Bebidas) -, que aderiram ao projeto CircuitoTurístico Entre Serras e Águas, do Sebrae em São Paulo, participam da sensibilização e capacitação sobre o Programa Alimentos Seguros (PAS).

O PAS trata de temas que ajudarão os empreendedores a manipular corretamente os alimentos, evitar perdas no armazenamento e se aprofundar na legislação específica do setor. Eles também serão capacitados em Empreendedorismo e Plano de Negócios entre outros temas de gestão empresarial.

“Os cursos são gratuitos, com objetivo de possibilitar aos empresários usar o dinheiro que seria investido nos cursos, na melhoria das empresas”, explica Douglas Tadeu de Carvalho, gestor do Projeto no Escritório Regional do Sebrae/SP em Guarulhos.

Os trabalhos para o desenvolvimento do Circuito Turístico Entre Serras e Águas começaram em 2008. O primeiro passo foi conseguir a adesão dos empresários do setor turístico, restaurantes e hotéis das 13 cidades que compõem o roteiro: Atibaia, Bragança Paulista, Bom Jesus dos Perdões, Guarulhos, Jarinu, Joanópolis, Mairiporã, Nazaré Paulista, Pinhalzinho, Piracaia, Pedra Bela, Tuiuti e Vargem.

Em 2009, cerca de 550 empreendimentos que estão envolvidos no circuito receberam consultores em turismo, credenciados pelo Sebrae (SP) e pelo Senac, que visitaram os estabelecimentos para levantar os pontos fracos e fortes na prestação de serviços aos turistas. O projeto está na fase das capacitações.

Em meados de 2011, será lançado o catálogo Circuito Turístico Entre Serras e Águas, com as atrações certificadas. “O principal objetivo é aumentar o fluxo de turistas na região e o tempo de permanência deles em pelo menos um dia”, descreve Carvalho.

Estrada batiza circuito

O circuito tem esse nome por conta da Estrada Entre Serras e Águas, que corta algumas das 13 cidades. Segundo os cálculos do Sebrae/SP, são cerca de 160 atrações com potencial turístico na região. A idéia é, com a formatação dos roteiros, atrair turistas nacionais e estrangeiros, em especial dos estados de São Paulo e de Minas Gerais, pela proximidade.

Entre os atrativos, destacam-se a tirolesa gigante de Pedra Bela, com quase 2 km de extensão, e a maior cachoeira de São Paulo, com 154 metros de altura, na Estância Turística de Joanópolis.

Além de lindas paisagens, as cidades têm potencial para serem destinos de turismo ecológico, religioso, rural e de aventura. “A longo prazo, a indústria do turismo proporcionará a criação de empregos, geração de renda e o desenvolvimento a economia da região”, comenta o gestor do Sebrae/SP.

veja também