Secretária espera entrada de R$ 1 bi na economia do turismo de MG

Secretária espera entrada de R$ 1 bi na economia do turismo de MG

Atualizado: Terça-feira, 2 Junho de 2009 as 12

A economia do turismo mineiro poderá ter uma receita adicional de cerca de até R$ 1 bilhão, em função da realização de jogos da Copa do Mundo de Futebol, em 2014. Foi o que disse a secretária de Estado de Turismo de Minas Gerais, Érica Drumond, após o anúncio em Bruxelas, feito pela Fifa (Federação Internacional de Futebol), das cidades brasileiras que serão sede de jogos no Brasil.

Pesquisa do Impacto Econômico dos Eventos Internacionais, realizada pela Fundação Getúlio Vargas (2008), a pedido da Embratur, indica que o gasto médio do turista estrangeiro de eventos no Brasil, por dia,  é de US$ 314,70. De acordo com a secretária, atualmente, a capital e seu entorno, possuem  cerca de 15 mil unidades habitacionais (quartos), podendo abrigar 30 mil pessoas/dia, o que movimentaria, em um período de 60 dias, cerca de R$ 1 bilhão de reais. "Levando-se em consideração que a Copa do Mundo movimenta um longo período, com atividades que antecedem e postergam o grande evento, se formos mensurar a nossa capacidade atual,  já teríamos a uma grande movimentação financeira neste período. Todo turista em um destino pratica os verbos hospedar, comer, visitar e comprar", reforçou Drumond.

O turista estrangeiro de eventos gasta diariamente o dobro do turista estrangeiro que vem ao País a negócio.  O gasto diário do turista de negócios é de US$ 165,14 e o que vem a lazer (US$ 73,53).  Pesquisa aponta ainda que os principais gastos de turistas internacionais no Brasil são em hospedagem (45,04%), alimentos e bebidas (13%), compras e presentes (11,95%), transporte (7,62%) e cultura e lazer: (7,48%).

 De olho neste mercado, já estão em fase de implantação em Belo Horizonte e região, com vistas a Copa 2014, novos empreendimentos em hotelaria em Belo Horizonte, em Jaboticatubas e em Brumadinho, com o incremento de mais de 600 leitos.

Agenda Internacional

Érica Drumond lembrou que em 2008 o Governo de Minas assinou com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), um convênio na ordem de U$ 5,6 milhões para o incremento do turismo de negócios em Belo Horizonte. Como resultado, já foi implantada uma rede integrada entre todos os setores turísticos da capital, para a captação articulada de eventos internacionais o Estado. "A iniciativa é muito importante para que a agenda internacional da cidade possa mudar o perfil do investimento na capital. É necessário esse incremento nos seis anos que antecedem a Copa. Grandes eventos internacionais geram a alta ocupação, o interesse de grandes investidores e novos negócios para Estado" disse.

A capital Belo Horizonte é atualmente a quinta cidade  brasileira que mais recebe eventos internacionais no ranking 2008 da Icca (International Congress and Conference Association). Minas Gerais tem ainda outros três municípios bem colocados na participação em nível nacional (Ouro Preto - décimo lugar e Tiradentes/Juiz de Fora - 11º).

"Estamos na busca permanente de eventos internacionais. Esta semana, por exemplo, a Setur esteve na Alemanha, participando da Imex – uma das maiores feiras de Turismo de Negócios do Mundo. "Queremos ampliar nossa agenda internacional e atrair investimento em hotelaria e restaurantes de padrão internacional para receber os turistas da Copa", afirmou a secretária.

veja também