Serra do Cipó (MG): extensa biodiversidade situada entre formações rochosas, cachoeiras e rios

Serra do Cipó (MG): extensa biodiversidade situada entre formações rochosas, cachoeiras e rios

Atualizado: Quinta-feira, 28 Maio de 2009 as 12

A Serra do Cipó está localizada a 100 Km da capital mineira, na região sul da Cordilheira do Espinhaço, abrange os municípios de Jaboticatubas, Itambé do Mato Dentro, Morro do Pilar e Santana do Riacho, e é o divisor de águas das bacias hidrográficas dos rios São Francisco e Doce.

A grande biodiversidade e o relevo acidentado da região, formado por serras de altitudes que variam entre 650 e 1.650 metros, caniôns, cavernas, campos rupestres, cachoeiras, lagoas e inúmeros rios de águas límpidas, fazem com que a Serra do Cipó seja um destino de ecoturismo imperdível.

O Parque Nacional da Serra do Cipó foi criado em 1985, com o objetivo de proteger grande parte deste patrimônio natural, e preservar além da fauna e flora, os sítios arqueológicos e inscrições rupestres presentes na região.

Principais atrações

Cachoeira da Capivara: ela fica a mais ou menos 1 hora de trilha da Estátua do Juquinha. De longe impressiona o tamanho, o interessante é quando se chega perto e descobre que você só está vendo a metade dela, a outra metade fica pra baixo.

Cachoeira da Farofa: fica dentro do Parque Nacional da Serra do Cipó é uma das mais famosas. A partir da portaria do parque, são mais ou menos 2 horas de caminhada.

Cachoeira do Tabuleiro: é a maior de Minas Gerais, com 273 metros de altura.

Cachoeira Véu da Noiva: uma das cachoeiras mais visitadas da Serra do Cipó. Possui uma infra-estrutura muito boa com banheiros, restaurante, área para camping e chalés.

Cachoeira Grande: localizado em uma propriedade particular na Área de Proteção Ambiental (APA) Morro da Pedreira, em Jaboticatubas, a Cachoeira Grande é um dos cartões postais da Serra do Cipó. Seu acesso é feito por uma estrada de terra de 2 km aproximadamente, passando por várias pousadas e fazendas. A Cachoeira tem uma queda de 10 metros de altura e um paredão de pedras com gramíneas de 60 metros aproximadamente. A água, idêntica ao rio Cipó, tem uma temperatura fria e no topo da cachoeira são realizados passeios de caiaque ao longo do rio. Existe uma infra-estrutura dotada de restaurante e banheiro. A pesca no atrativo natural é permitida desde que seja feita com anzol. Os peixes mais comuns são o Lambarí, Dourado, Traíra, dentre outros.

Cânion das Bandeirinhas: é chamado de Canyon das Bandeirinhas porque é formado pela Serra das Bandeirinhas.

Estátua do Juquinha: foi feita em homenagem a um Sr. que nasceu e morreu na Serra e trabalhava vendendo e dando flores na região.Ele fica na parte alta da serra, a 21 Km (estrada de terra) do Camping Véu da Noiva. Esta estátua é referência para se pegar a trilha para a cachoeira da Capivara.

Gruta da Lapinha: A formação da Gruta se deu através da infiltração de água pelas fendas e poros do maciço calcário. No seu interior percebem-se nítidos sinais do percurso de um caudaloso rio subterrâneo. Hoje, nos seus 511 m de extensão e 40 m de profundidade, podem-se observar formas surpreendentes, originadas das formações de espeleotema - destacando-se couve-flor, cascata, cortina e pirâmides. E estes são apenas alguns exemplos das maravilhas que encontradas ali.

Lagoa Dourada: local deserto, cuja trilha sai da Vila de São João da Serra.

Parque Nacional da Serra do Cipó: são ao todo 100.000 hectares de cerrados, campos rupestres e matas, além de rios, cachoeiras, canyons, cavernas, sítios arqueológicos preservados e muitos esportes de aventura.

Pedrão: é um paredão imponente ao lado do Rio Cipó de onde é possível pular de várias alturas.

Pico do Breu:  é o mais alto da Serra do Cipó. No caminho á uma represa, localizada no povoado da Lapinha, ao pé da Serra. Há também algumas quedas d`água de grande beleza cênica e o Córrego das Pedras, próximo ao Pico, com várias corredeiras.

Pinturas rupestres: elas são de enorme importância científica e histórico-cultural no entorno e no interior da Unidade. Existem inúmeras pinturas rupestres, indicando civilizações antigas na região. Próximo à UC, em Santana do Riacho, há ainda sítios arqueológicos de enorme significado histórico-cultural e científico.

Poço Azul: é um dos atrativos naturais mais próximo da portaria do IBAMA, na Serra do Cipó, sendo por isso bastante visitado pelos turistas. Situado dentro dos limites do PARNA Cipó, seu acesso é feito por uma trilha de aproximadamente 2 Km com trechos planos e acidentados, sendo bastante comum a presença de matas, capões e paredes rochosas margeando o Córrego Gordurinhas. Sua queda de aproximadamente 6 metros de altura é cercada de árvores, pedras e raízes, formando-se uma piscina natural com uma profundidade bem diferenciada em determinados pontos. A melhor época para a visitação é nos meses de dezembro a maio, pois as chuvas nestas épocas do ano evitam que o atrativo fique completamente seco. O nome Poço Azul é devido ao reflexo do sol incidindo durante determinadas épocas do ano.

Trilha dos Escravos: Uma bela trilha de pedras com idade desconhecida, que começa na rodovia e segue morro acima na extensão de um quilômetro. Do alto, uma bela vista do Morro da Pedreira e da Vila.

Acesso: o acesso de Belo Horizonte até a Serra do Cipó é feito através da Rodovia MG-10, em pouco mais de uma hora.

Cavalgada:  se você não gosta de caminhar muito, as trilhas da Cachoeira da Farofa e do Cânion das Bandeirinhas podem ser realizadas a cavalo. O aluguel pode ser feito dentro do Parque.

Cuidados: em algumas regiões existem carrapatos . Depois de uma caminhada, verifique seu corpo e suas roupas, para não carregá-los para casa sem querer.

Moutain - Biking: ótima opção de locomoção na região. As bikes podem ser alugadas na cidade, mas devem ser reservadas com antecedência.

Passeio de canoa: não deixe de curtir o passeio de canoa pelas águas do Rio Cipó. Prepare-se, pois é preciso disposição e braços para remar por horas a fio e desviar dos aguapés e dos troncos no leito do Cipó. Mas o visual compensa: alterna entre deliciosas praias de areia branca, campos floridos e vegetação densa.

Trekking: a melhor maneira de conhecer a região é através de caminhadas de 1 dia, cortando paisagens incríveis das montanhas mineiras, como o Cânion das Bandeirinhas, o Pico do Breu, um dos pontos mais altos da Serra do Cipó, a Lagoa Dourada, o Mirante, o Caminho dos Escravos, a Serra Morena e o Poço Azul.

Cardeal Mota: na cidade de Cardeal Mota é possível comprar artesanato local.

Escalada: para as pessoas que querem começar a praticar escalada, a Serra do Cipó é um ótimo ponto de partida.

Comida Mineira: não passe pela Serra do Cipó sem provar a deliciosa comida mineira.

veja também