Táxi de SP é considerado o melhor serviço do Brasil

Táxi de SP é considerado o melhor serviço do Brasil

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 9:14

SÃO PAULO - Bastante requisitado, principalmente por executivos e turistas que desembarcam em cidades pelo mundo todo, o táxi é um tipo de serviço essencial para a infraestrutura turística dos municípios. Pois uma pesquisa realizada pelo site Hoteis.com descobriu que os táxis da capital paulista estão no topo da preferência dos usuários brasileiros.

Em cinco das sete categorias avaliadas, eles tiveram preferência: limpeza (50%), segurança (36%), cordialidade (29%), qualidade da direção (62%) e disponibilidade (33%). Porém, eles também foram considerados os piores em um quesito: o valor da corrida, com 55% dos votos.

Outras cidades

O segundo lugar no ranking foi ocupado pelos táxis de Curitiba, já que os viajantes consideraram-nos os melhores em conhecimento do trajeto (33%) e valor da corrida (14,3%).

Já na outra ponta da lista veio justamente um dos principais destinos turísticos do País, o Rio de Janeiro. Isso porque os táxis da Cidade Maravilhosa receberam as piores notas em seis categorias: limpeza (37%), segurança (43%), conhecimento do trajeto (24%), cordialidade (39%), qualidade da direção (40%) e disponibilidade (21%).

Já em uma escala mundial, os brasileiros escolheram os táxis de Nova York como os melhores, enquanto que os de Buenos Aires como os piores.

Londres no topo do ranking mundial

Quando avaliados os táxis de todo o mundo, os 5 mil usuários em 23 países elegeram, pelo quarto ano consecutivo, os serviços da capital inglesa como os melhores do mundo, com 28% (quase um terço) dos votos. Afinal, Londres foi aprovada em cinco categorias: segurança, simpatia, limpeza, qualidade de condução e conhecimento da área.

A mesma situação verificada com o transporte da capital paulista foi observada com o de Londres, afinal, os táxis pretos também foram considerados os mais caros. Apesar disso, a capital venceu Nova York, que ficou no segundo lugar, com 9%, e Hong Kong, no terceiro, com 7%.

Confira na tabela abaixo:

Ranking das cidades com os melhores serviços de táxi no mundo *

Posição/Cidade Votos (%)

1 - Londres (Reino Unido) 28%

2 - Nova York (EUA) 9%

3 - Hong Kong (China) 7%

4 - Tóquio (Japão) 7%

5 - Cingapura 6%

6 - Bancoc (Tailândia) 6%

7 - Berlim (Alemanha) 4%

8 - Helsinki (Finlândia) 4%

9 - Dublin (Irlanda) 4%

10 - Madri (Espanha) 4%

Os carros amarelos de Nova York ganharam o prêmio de melhor disponibilidade, com 32% dos votos, apesar de terem recebido os votos do pior conhecimento da área (11%).

Já o Tuk Tuk - tricilo com cabine para transporte de dois -, em Bangkok, apresentou o melhor valor, embora tenha sido eleito o pior do mundo em qualidade de condução (32%), em limpeza (22%) e segurança (36%).

Outros dados (curiosos) da pesquisa

- O táxi é o meio mais popular de viagem do aeroporto até o hotel, com 54%. Em seguida vieram o trem e ônibus, com 16% cada um, e a pé, com 2%.

- Viajantes de todo o mundo informaram uma série de itens pitorescos esquecidos nos veículos: um turista coreano perdeu uma lula seca, um norueguês esqueceu o anel de casamento e uma italiana perdeu o sutiã. Entre os brasileiros, os itens esquecidos foram notebook e cachecol.

- Em muitos lugares do mundo é comum dar gorjetas aos taxistas, porém, 34% dos usuários argentinos confessaram que nunca deram o benefício. Já os moradores de Hong Kong são os mais generosos, com cerca de 48% deles dando gorjetas de 20% do valor da corrida ou mais. No Brasil, 82% dos viajantes arredondam o preço.

- Os passageiros de quase todos os países colocaram a segurança como o item mais importante, com exceção dos italianos, que colocaram limpeza à frente da segurança.

- Mas o que mais incomoda os passageiros? Motorista mal cheiroso, para 55% dos chineses e 45% dos brasileiros; já o fumo durante a corrida é o que mais incomoda 52% dos chineses e 33% dos britânicos.

- E, se a conversa chega a ser um item valorizado entre alguns usuários, 37% dos coreanos admitiram odiar motoristas que conversam durante a corrida, enquanto que 30% dos alemães também não estão interessados em conversa fiada.

veja também