Templos, palácios, ilhota e pedras calcárias decoram a ilha secreta da Grécia

Templos, palácios, ilhota e pedras calcárias decoram a ilha secreta da Grécia

Atualizado: Sexta-feira, 8 Abril de 2011 as 11:39

País que abriga mais de mil ilhas, a Grécia quase sempre é lembrada por duas bem famosas, Santoríni e Mikonos. Mas há uma outra, no Mar Jônico, próxima à costa da Albânia, que é um show: Corfu.

Fora dos roteiros turísticos mais conhecidos, a ilha tem uma história marcada por conflitos e batalhas, iniciados no século 70 a. C. O legado desses conflitos pode ser visto nas fortificações e castelos que contornam a ilha e hoje estão entre as principais atrações.

As batalhas duraram até 1864, quando a unificação de Corfu com a Grécia moderna fez com que acabassem as intervenções de outros países no território insular.

A ilha tem 64 km de comprimento por 32 km de largura e uma área de 593 km2. É composta por uma grande variedade de formações de pedra calcária, o que faz com que a superfície seja bastante variada e a vista dos pontos mais elevados, magnífica.

A cidade principal, com cerca de 36.000 habitantes, também se chama Corfu e já foi domínio de persas, venezianos, ingleses, turcos e outros povos que influenciaram na arquitetura local. Mas apesar das várias dominações, de todos a maior influência foi a dos venezianos, que tiveram soberania na ilha entre os séculos 15 e 18.

Algumas comidas, músicas e festas de Corfu são de origem veneziana. E durante o período de domínio, a população local assimilou diversas palavras originárias do veneziano e do italiano, usadas ainda hoje. As praias mais encantadoras ficam na porção nordeste da ilha, onde a referência é a charmosa vila de Paleokastritsa.

Corfu guarda ainda vestígios da antiga civilização grega, como a tumba de Menecrates, na Baía de Castrades, entre outros monumentos e ruínas.O Museu Arqueológico e o Museu de Arte Asiática, na cidade de Corfu, estão entre os pontos que devem ser visitados, assim como os Palácio de São Michel e São?George, as Igrejas de São Jason e São Spyridson e o Palácio de Achilleion.

Outro passeio interessante é conhecer o Palaio Frourio, antigo forte veneziano. O interior foi restaurado e hoje é usado para eventos culturais como concertos ou para as produções de luz e som, que apresentam recriações de eventos históricos usando efeitos especiais. No centro do forte, há um obelisco com um ponto de observação e uma cruz gigante no topo.

Já o Neo Frourio é um grande complexo de fortificações que domina a parte nordeste da cidade de Corfu. Até, bem pouco tempo, era uma área restrita por ter a presença de tropas navais gregas. Mas há pouco, o local foi aberto para visitação com tours pelos labirintos de corredores medievais e pelas fortificações. A partir de Atenas, a capital da Grécia, há cinco voos diários (50 minutos) para Corfu. É possível também chegar à ilha pelos ferry-boats que saem do porto de Igoumemitsa – a viagem de barco dura duas horas. Da cidade de Patra, partem também navios com destino a Corfu.

veja também