Turismo de consumo nos Estados Unidos

Turismo de consumo nos Estados Unidos

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 1:21

  Com o Brasil crescendo no ranking dos países que mais gastam nos EUA, o governo poderia repensar nos novos impostos, pois o consumo está se mudando para a terra do Tio Sam.

Favorecidos pelo dólar desvalorizado frente ao real, os brasileiros estão viajando e gastando mais no exterior, segundo dados recentes do Banco Central. Hoje, o País já é o terceiro no ranking de turistas que mais compram nos Estados Unidos.

O governo americano prevê que também o número de turistas vai crescer. De 1.4 milhão em 2011, para 3 milhões de brasileiros em 2016. E este crescimento só tende a aumentar, visto que os preços dos produtos, de alfinete a geladeira, são muito mais baratos nos EUA. Então, as pessoas estão trazendo em maior quantidade roupas, eletrônicos, bebidas, calçados, etc. Nesta bagagem, acrescente-se a agilização que o Consulado Americano promete para os vistos americanos.

Mesmo antes da aceleração dos processos, o número de vistos rejeitados caiu de 40 % para 5%. Diante deste cenário, quem não quer comprar economizando e fazendo turismo?

Há alguns anos o brasileiro viajava para buscar as novidades em eletrônicos, perfumes, computadores etc. Hoje, o Brasil já possui nas prateleiras de suas lojas, o que de melhor existe em todo mundo. Tudo igual. A única coisa que difere é o imposto. Nossa carga tributária é muito maior. A título de exemplo, nos Estados Unidos, a taxa varia de 6 a 9%, enquanto que no Brasil este valor sobre para 40 a 50%.

Esta aí a resposta para a atratividade do brasileiro em consumir nos Estados Unidos. Para o Advogado, Mestre em Direito e Especialista em Tributos e autor do livro “O turbilhão tributário esmagando a empresa e a sociedade”, Dr. Edson Pinto, tanto a população brasileira, quanto o empresariado, não agüenta mais o turbilhão de impostos a que são impactados todos os dias. Quem paga grande parte dessa conta é sempre o consumidor final e o governo atribui às empresas os recolhimentos.

O sistema de cobrança de impostos no Brasil realmente é bastante complexo. Além de um verdadeiro emaranhado de tributos e contribuições, surgem novas leis e jurisprudências de tempos em tempos, nem sempre harmoniosas entre si. E, por trás de todo este sistema, o governo aumenta vagarosamente a carga tributária.

Além disso, existem ainda várias práticas fiscais, leis e jurisprudências, são milhares delas. “Então, as empresas precisam se adaptar a essa rotina, criar e manter departamentos fiscais eficientes, assumindo custos cada vez maiores e criando dificuldades para o bom fluxo de caixa. Aliás, o governo se impõe neste contexto como um verdadeiro inimigo, visto que as dificuldades são constantes e os facilitadores cada vez mais raros”, alerta Dr. Edson.

E quem gosta de consumir opta por fazer as malas e seguir para países que oferecem mais desconto tributário. Este é o caso de Viviane Bueno, 39 anos, consumista profissional. Ela viaja todos os anos para fora do Brasil, mas nunca comprou tanto como agora.

“Os preços estão mesmo convidativos para quem gosta de comprar de tudo, como roupas, cosméticos, perfumes, e até para quem vai atrás de compras mais específicas, como equipamentos de informática, objetos de cozinha e decoração, por exemplo. Se eu fosse comprar todos estes itens aqui no Brasil, ela gastaria pelo menos o dobro”, comemora Viviane.

Para que possa ficar bem clara a influência dos impostos nos campeões de consumo, Dr. Edson Pinto se inspira numa das viagens de Viviane para fazer uma conta básica (*). Levando-se em consideração a viagem de uma pessoa, que passou 10 dias em Orlando, o maior centro internacional de compras e diversão mais próximo do Brasil, sem pesar o limite permitido de alfândega, a economia de uma viagem seria esta:

Item Compra nos EUA

Dólar (US$)

Conversão

Compra no Brasil

Real (R$)

Saldo final

Passagem

1.500,00

2.580,00

Hotel

800,00

1.376,00

Aluguel de carro

500,00

860,00

Alimentação

500,00

860,00

Total Viagem

3.300,00

5.676,00

iPad 2 16G

499,00

858,28

1.482,00

iPhone 4

199,00

342,28

1.619,00

Mac Book Air

999,00

1.718,28

3.999,00

Caneta Mont Blanc

750,00

1.290,00

1.662,00

Relógio Michael Kors

225,00

387,00

799,00

Perfume Chanel no. 5

64,00

110,08

597,00

Camisa Tommy Hilfiger

49,00

84,28

178,00

Jogo de sombras MAC

38,00

65,36

175,00

Camisa Pólo Lacoste

49,00

84,28

150,00

Total Compras

2.872,00

4.939,84

10.661,00

Total geral

6.172,00

10.615,84

10.661,00

45,16

Diferença

45,16

(*) Preços médios do mesmo produto, do mesmo fabricante, baseados em sites nacionais e internacionais de compras e cotação do dólar de R$ 1,72.

Desta forma, o turista brasileiro, além de comprar e se divertir em solo americano, paga sua própria viagem com a economia e ainda sobram R$ 45,16 para o cafezinho no aeroporto de Guarulhos e um táxi para levar as compras para casa.

veja também