Turismo de Nova Friburgo faz 1ª reunião para avaliar impacto da tragédia

Turismo de Nova Friburgo faz 1ª reunião para avaliar impacto da tragédia

Atualizado: Sexta-feira, 21 Janeiro de 2011 as 1:09

Mobilizados pela FBHA (Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação) e pelo Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Nova Friburgo, cerca de 60 empresários se reuniram hoje pela manhã para analisar o impacto da tragédia das chuvas no turismo de Nova Friburgo. Foi formada uma comissão de representantes do setor para discutir com as autoridades quais as primeiras ações de revitalização. Um próximo encontro está marcado para sexta-feira, 21 de janeiro, junto às comissões de outros setores de indústria e comércio.

O presidente da FBHA, Alexandre Sampaio, sugeriu que os governos municipal, estadual e federal prorroguem o prazo para o recolhimento de contribuições como Pis/Pasep e Cofins, ICMS e ISS para os hotéis, bares e restaurantes. Outra sugestão foi acelerar a liberação de crédito nas linhas de financiamento do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal para a reconstrução.

“Vamos interceder também junto à Caixa no adiamento da contribuição sindical obrigatória, que deveria ser deduzida em março”, completou Sampaio.

A reunião contou com a presença do presidente da TurisRio, Nilo Sérgio Felix, e do secretário de turismo de Nova Friburgo, José Carlos da Motta. A Investe Rio, agência de fomento do governo do estado, anunciou no encontro que montará um posto avançado na cidade nos próximos dias.

Friburgo conta com 135 hotéis e pousadas. Alguns deles ainda estão inacessíveis, e cinco foram destruídos na enxurrada. Restaurantes e hotéis estão trabalhando com cerca de 40% a menos de funcionários. E as principais atrações turísticas do centro de Friburgo, a Praça do Suspiro e o teleférico, encontram-se arrasados.

Apesar deste cenário, outros distritos locais estão com funcionamento considerado normal. Mury, Lumiar e São Pedro da Serra, que reúnem 56 hotéis e pousadas, não foram afetados diretamente pelas chuvas, embora tenham sofrido com a falta de energia e com mau estado das estradas. Foi registrada uma redução de reservas na última semana, mas não há cancelamentos para o período do carnaval.

Os hotéis do centro estão com 100% de ocupação devido à presença de autoridades, especialistas, imprensa e voluntários para trabalhar na reconstrução da cidade.

veja também