Turista aprova hospedagem em São Paulo, mas reclama da limpeza

Turista aprova hospedagem em São Paulo, mas reclama da limpeza

Atualizado: Terça-feira, 10 Fevereiro de 2009 as 12

Pesquisa divulgada pela São Paulo Turismo mostra que a hospedagem, os restaurantes e as agências de turismo foram os itens mais bem avaliados pelos visitantes que estiveram na capital paulistana. A limpeza, a segurança e o trânsito receberam as piores notas. A pesquisa foi feita durante o ano de 2008.

O estudo apontou que a cidade obteve um número inédito de turistas no ano passado. A SPTuris estima que cidade encerrou o ano com 11 milhões de visitantes, dos quais 9,3 milhões nacionais e 1,7 milhão estrangeiros. O número é 2,8% maior do que em 2007, quando a cidade teve 10,7 milhões de turistas. Se comparado com 2004, o crescimento foi de 34,15%.

A receita obtida com os gastos dos turistas totalizou R$ 8,3 bilhões, um aumento de 2,47% em relação a 2007 e de 29,69% em relação a 2004. O levantamento apontou que, entre os visitantes nacionais, a maioria é mulher (54,9%), tem entre 40 e 59 anos (53,5%) e vem principalmente do interior e litoral do estado (25,7%), Minas Gerais (13,1%) e Rio de Janeiro (9,3%). Os meios de transporte mais usados para chegar até a cidade são ônibus (41,7%), avião (23,3%) e veículo próprio (22,2%).

A permanência média é de 8 dias e o gasto médio é de R$ 951,30 no período, excluindo gastos com transporte e hospedagem. No caso de quem vem exclusivamente para negócios, a permanência média é de 3 dias.

A visita a parentes e amigos foi o motivo de viagem mais citado entre os turistas nacionais, com 56,5%. Negócios foi a segunda maior motivação (22,5%) e compras, a terceira (19,1%).

Entre os estrangeiros, a maior parte é homem (77,4%), tem entre 30 e 49 anos (55,7%) e vem principalmente dos Estados Unidos, da Argentina, Alemanha, França, do Chile, de Portugal, da Itália, Espanha, Inglaterra e do México, respectivamente. O meio de transporte mais usado para chegar até a cidade é o avião (96%).

A permanência média é de 8 dias e o gasto médio é de US$ 1.172,07 (cerca de R$ 2.700) no período, excluindo gastos com transporte e hospedagem. No caso de quem vem exclusivamente para negócios, a permanência média é de 3 dias.

O principal motivo da viagem é negócios (57,2%), seguido de visita a parentes e amigos (20,7%) e lazer (13,6%).

veja também