Turistas seguem pegadas de dinossauros no sertão paraibano

Turistas seguem pegadas de dinossauros no sertão paraibano

Atualizado: Terça-feira, 2 Fevereiro de 2010 as 12

No title O caminhar de animais gigantescos imprimiu nas terras do sertão paraibano pegadas com idade entre 65 milhões a 250 milhões de anos. Elas estão espalhadas por 30 localidades, numa área de aproximadamente 700 quilômetros quadrados em torno da bacia sedimentar do Rio do Peixe, conhecida como "Vale dos Dinossauros".

A cidade que concentra as trilhas mais importantes é Souza - próxima a Cajazeiras e Juazeiro do Norte. Ali, o agricultor Anísio Fausto da Silva encontrou as primeiras pegadas, em 1897, no local apelidado "Passagem das Pedras" e as atribuiu a "bois e emas gigantes". Elas têm 40 centímetros de diâmetro, "caminham" por 50 metros e, na década de 1920, geólogos descobriram que pertenciam a um iguadonte (dinossauro herbívoro e bípede, com peso entre três e quatro toneladas).

Por todo o vale, encontram-se marcas com diâmetro entre 5 e 40 centímetros. Algumas pertenciam a dinossauros do tamanho de uma galinha, outras aos ilustres gigantes. Entre os maiores que registraram passagem pela região, figuram o alossauro (bípede carnívoro que, inclinado, alcançava de nove a doze metros de comprimento e 4,2 de altura) e o estegossauro (herbívoro quadrúpede, que alcançava 4,5 metros de altura e tinha o dorso contornado por saliências em forma espinhosa).

As pegadas sobreviveram ao tempo graças ao processo de fossilização por que passaram. Foram impressas na lama ou areia úmida durante períodos chuvosos. Na seca, solidificaram-se e foram cobertas por camadas de areia e barro trazidas pelas enchentes. Assim permaneceram, até a ação do tempo e dos estudiosos as revelar.

Vale dos Dinossauros: o principal acesso para o Vale, no sertão da Paraíba, é pela BR-230. Para mais informações, consulte o site: www.valedosdinossauros.com.br

Por Fábio Brandt

Foto: Allan Patrick/Creative Commons/Reprodução

veja também