Turistas trocam Sul e Argentina pelas praias do Nordeste devido à gripe suína

Turistas trocam Sul e Argentina pelas praias do Nordeste devido à gripe suína

Atualizado: Sexta-feira, 24 Julho de 2009 as 12

Em plena temporada de inverno, o anúncio de mortes causadas pela gripe A (H1N1) tem levado turistas a trocar os destinos mais tradicionais desta época do ano, como o Sul do país, a Argentina e o Chile, pelas praias do Nordeste.

Segundo a Abih (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) nos Estados mais procurados da região - Pernambuco, Ceará e Bahia -, a ocupação da rede hoteleira já supera a expectativa dos empresários.

Em algumas cidades, como Fortaleza (CE), onde acontece nesta semana um Carnaval fora de época, 98% dos 25 mil leitos estão ocupados. "Esperávamos uma ocupação de 70% neste meio do ano", diz o presidente da Abih no Estado, Régis Medeiros. "Até o dia 19, esse percentual já atingia 76,82%. Fecharemos o mês em 80%."

No litoral sul de Pernambuco, onde está localizada a praia de Porto de Galinhas (60 km de Recife), a ocupação deve atingir 90% no mês - o esperado era apenas 75%.

"De fato, a gripe suína trouxe para o Nordeste muitos turistas que planejavam viajar para o Sul, Argentina ou Chile", diz o presidente da Abih de Pernambuco, José Otávio Meira Lins. "Mas não dá para festejar sobre coisa ruim", afirma. "Uma pandemia ou um ato de terrorismo não beneficia ninguém. Todo mundo vai sofrer se essa gripe se espalhar."

Para os turistas, entretanto, o importante no momento é se manter o mais longe possível da doença. O comerciante de Ubatuba (SP) Dionatan Bentim, 28, trocou uma viagem de carro para o Rio Grande do Sul - onde moram seus pais -, Uruguai e Argentina por um passeio pelo Nordeste com a mulher.

"Meus pais moram em Sarandi (380 km de Porto Alegre), cidade próxima a Passo Fundo, um dos focos da gripe. Eles mesmos recomendaram que não viajássemos para lá", diz o comerciante.

No Rio Grande do Sul, já foram registradas 16 mortes. No Paraná - meio do caminho -, já há uma morte confirmada.

"Minha mulher é alérgica a diversos medicamentos. Então resolvemos não arriscar."

No novo roteiro, os dois viajarão por Estados sem registro de mortes provocadas pela doença. Eles chegaram de avião a Pernambuco - onde 23 pessoas contraíram a gripe - e, por 20 dias, passearão de carro pelo litoral até o Ceará (onde há seis casos). Antes, visitarão a Paraíba (cinco casos) e o Rio Grande do Norte (oito casos).

O medo da gripe também levou o comerciante de Sorocaba (SP) Alexandre Silva, 57, e a mulher dele a abandonarem a ideia de conhecer o Rio Grande do Sul e a Argentina. "A viagem foi planejada por três meses, mas, diante da situação de risco, resolvemos ir para João Pessoa (PB)", afirma Silva.

veja também