Vancouver desafia a preguiça

Vancouver desafia a preguiça

Atualizado: Sexta-feira, 26 Fevereiro de 2010 as 12

No title Sede até domingo dos 21º Jogos Olímpicos de Inverno, Vancouver (www.vancouver2010.com ) foi eleita pela revista "The Economist", talvez com exagero, "a melhor cidade do mundo para se viver".

Descontando as baixas temperaturas de até -10 graus C no inverno e um clima que costuma ser chuvoso, a cidade, na costa oeste do Canadá, é cênica, tem 550 mil habitantes -2,2 milhões de pessoas lá vivem, considerados os arredores, e 17% deles têm etnia chinesa- e é imersa na natureza da Colúmbia Britânica. Além de Vancouver, a Olimpíada invernal tem três subsedes: Whistler, Richmond e West Vancouver, localidades que, entre os dias 12 e 28 de fevereiro, devem totalizar o recebimento de 350 mil visitantes.

Compacta, limitada pelas montanhas Rochosas e pelos estreitos da Geórgia e de Johnstone, ligados ao Pacífico, no inverno ou no verão Vancouver é aceso polo turístico. Na parte elevada, em West Georgia street, estão monumentos, lojas, a Vancouver Art Gallery e o tradicional hotel Fairmont.

Já na zona portuária fica o bairro de Gastown, onde há lojas de suvenires e roupas, hotéis e restaurantes acessíveis, e o Waterfront, com marinas e veleiros, hotéis de charme e locais para comer pescados. Se o tempo permitir, andar a pé do Waterfront à ilha Stanley, num extremo da Beach avenue, revela 40 hectares de jardins de rosas e bosques, locais para equitação, ciclovias e o Vancouver Aquarium Marine Science Center. O primeiro aquário canadense, de 1956, abriga 70 mil animais marinhos e de água doce em tanques que comportam 9,5 milhões de litros de água.

Também esbanja diversidade o mercado, em Granville Island. Até lá, dá para pegar o ônibus vermelho de dois andares Big Bus ou o Vancouver Trolley, cujos tours saem por volta de US$ 35.

América à britânica

O litoral era recortado e inóspito para veleiros, idem os braços de mar, cobertos por árvores. Quando Vancouver foi alcançada pelo capitão inglês James Cook, em 1778, foi logo reivindicada para o Reino Unido. Em 1792, George Vancouver, parceiro de Cook na primeira viagem, voltou para essa região cobiçada pela Espanha.

Apenas em 1862 Gastown, hoje um bairro de Vancouver, passou a ter foros urbanos, num tempo em que a economia local explorava madeira. O relógio a vapor de Gastown, de 1870, apita a cada 15 minutos na esquina das ruas Cambie e Water, como nos primórdios.

O progresso veio em 1886, com a ferrovia transcontinental Canadian Pacific. Em 1896, a descoberta de ouro em Yukon legou a Vancouver um quê cosmopolita, transformando o comércio, atraindo mineiros, carpinteiros e construtores navais. E ainda hoje, a sede das Olimpíadas de inverno de 2010 ainda produz madeira, papel, aço, enlatados de pescado, produtos químicos e embarcações.

Por Silvio Cioffi

veja também