Viagem à África do Sul durante a Copa: confira todos os cuidados a tomar

Viagem à África do Sul durante a Copa: confira todos os cuidados a tomar

Atualizado: Segunda-feira, 24 Maio de 2010 as 3:18

Tem torcedor que faz de tudo para assistir às partidas da Copa do Mundo. Alguns não resistem e partem para o país-sede. Em 2010, na África do Sul, não poderia ser diferente. Mas, antes de arrumar as malas, é preciso prestar atenção a todos os detalhes da viagem, para não passar por aborrecimentos em meio a tantas possibilidades de diversão.

Quem viaja à África do Sul precisa apenas de passaporte, se for ficar no destino por um período de até 90 dias, seja para estudo, negócios ou turismo. Em caso de visto de estudo, o documento é exigido para viagens acima de 90 dias. As informações para consegui-lo estão disponíveis no portal da Embaixada da África do Sul no Brasil (www.africadosul.org.br).

O passaporte precisa ter vencimento de um mês após a data marcada para o retorno do brasileiro e deve estar com pelo menos duas páginas em branco. A Polícia Federal é responsável por emitir o passaporte e por renová-lo, em caso de vencimento. Pelo portal do órgão (www.dpf.gov.br), já é possível agendar o atendimento para requerer o documento.

Passaporte e visto em mãos, é hora de atentar à saúde. Quem for assistir aos jogos da Copa não fica imune da apresentação do CIV (Certificado Internacional da Vacina) contra a febre amarela, vacina que deve ser tomada pelo menos dez dias antes do embarque. Mais informações podem ser obtidas no portal da Anvisa e da embaixada do país.

No aeroporto

Alguns problemas costumam acontecer em aeroportos. Muitos deles geram muita dor de cabeça. Os brasileiros devem ter atenção redobrada neste ponto porque, a partir de 15 de junho, começam a valer novas regras para o transporte aéreo, período em que alguns turistas estarão em viagem para assistir às partidas do mundial.

Além de obrigar as empresas a prestar assistência e realocar os passageiros em período mais curto, nos casos de atrasos e cancelamentos de voos, e prever reembolso mais rápido do valor pago da passagem, as normas regulamentam o overbooking, que nada mais é do que a prática de venda de passagens além da capacidade da aeronave.

Para evitar esse tipo de situação, compre a passagem somente com fontes confiáveis e com antecedência. Chegue no aeroporto horas antes do embarque, para participar com tranquilidade de todo o procedimento e fique atento aos seus direitos, no caso da confirmação de algum imprevisto desagradável.

Por exemplo, entre as novas regras, quando o passageiro for preterido no embarque por overbooking, a empresa deverá oferecer compensações para que ele aceite embarcar em outros voos. Além disso, em caso de atraso do voo, está previsto o reembolso de acordo com o tempo de espera do passageiro.

No destino

De acordo com o Confidence Guide da África do Sul, há certo grau de violência nas cidades do país-sede, mas a maioria dos turistas vai e volta incólume. Os problemas estão concentrados em áreas pelas quais poucos turistas circulam. "No geral, brasileiros devem tomar as mesmas precauções que tomariam em outras cidades daqui".

Também por segurança, considere plastificar sua mala antes do voo, guardar grandes quantias e documentos (como o passaporte) no cofre do hotel onde estará e manter seus pertencer muito bem guardados no deslocamento para estádio e passeios.

Uma outra preocupação no destino deve ser com a forma de pagamento a ser usada. Confira abaixo quais são as opções:

Moeda em espécie e traveler check: sempre leve um pouco de dinheiro em espécie, que tem a facilidade de ser aceito em qualquer local, e também uma parte em traveler check. A dica é comprar com antecedência, para não deixar para última hora e ter de aceitar um câmbio alto.

Cartões de débito pré-pagos: permitem ao turista pagar despesas e fazer saques, na moeda local, em todo o mundo. A diferença é que o cartão é carregado, antecipadamente, em dólar, euro ou libra. Existe até mesmo a possibilidade de carregar em rands, a moeda da África do Sul. Ou seja, assim como na compra de moeda ou TC, a pessoa já pode programar, com antecedência, quanto terá disponível para gastar, sem se preocupar com as oscilações do câmbio.

Cartão de crédito: você pode usar seu cartão de crédito, desde que ele seja internacional, para fazer saques e pagamento de compras. Porém, são cobradas taxas que podem comprometer o orçamento. Além disso, o pagamento das contas é feito no dia de vencimento da fatura e o câmbio válido é o desta data. Por isso, a modalidade se torna arriscada.

Cartão de débito internacional: alguns bancos já emitem o cartão de débito, vinculado à conta do cliente na instituição financeira, que pode ser usado no exterior tanto para realização de compras quanto de saques.

Por: Flávia Furlan Nunes

veja também