Viagem aos museus de bebidas pelo mundo

Viagem aos museus de bebidas pelo mundo

Atualizado: Sexta-feira, 11 Fevereiro de 2011 as 3:07

Para vários turistas, uma das melhores descobertas em uma viagem é a bebida local. Vodca, saquê, whisky, tequila e cachaça tornaram-se símbolos de seus países produtores e conquistaram apreciadores ao redor do mundo. Não à toa, ganharam museus temáticos. Neles, é possível conhecer como nasceu a tradição da bebida, e, de quebra, degustar uma dose no fim do passeio. Saúde!

Tequila e Mezcal - México

As mais famosas bebidas mexicanas ganharam um moderno museu no fim do ano passado. As paredes transparentes de vidro decoradas com desenhos de agave, planta de onde se extrai o suco para a produção da tequila e do mezcal, dão a sensação de se estar dentro de uma garrafa.

As salas interativas mostram vídeos com a história das bebidas que eram consumidas pelos astecas, vários séculos antes da chegada dos espanhóis. O visitante conhece o passo a passo da fabricação, desde a colheita do agave até o envasamento.

O acervo reúne cerca de 400 garrafas das bebidas, de várias regiões do país. A mais rara é um exemplar da Casa José Cuervo de 1820. O museu também abriga a escola de mariachis, os tradicionais músicos mexicanos com chapelões.

De um amplo terraço no terceiro andar do prédio se avista a Praça Garibaldi, no centro histórico da Cidade do México. O lugar perfeito para tomar um copinho dos destilados e até degustar as típicas comidinhas apimentadas. Mas se quiser fazer como os mexicanos, prove a tequila sem limão e sal.

Museu da Tequila e Mezcal

Endereço: Plaza Garibaldi, Centro Histórico, Cidade do México Entrada: 50 mil pesos (cerca de R$ 7). Inclui uma dose de tequila ou mezcal Horário: Quinta-feira a domingo, das 11 às 19h

Cachaça – Brasil

O aroma vindo dos enormes tonéis de madeira de bálsamo paira no ar do casarão de 1846. Os amplos cômodos abrigam um acervo com documentos, filmes e garrafas, inclusive as tradicionais, encapadas com cipó. A cozinha foi preservada com seus utensílios originais, como o antigo fogão à lenha.

É possível conhecer todo o processo de fabricação, da moagem da cana de açúcar à fermentação, passando pela destilação e envasamento. Máquinas antigas e dois bonecos de resina em tamanho natural, que representam os escravos, mostram como a aguardente era feita artesanalmente no passado.

Mas o ponto alto do passeio é o maior tonel de madeira do mundo, segundo o Guinness Book of Records. Ele mede cinco metros e tem capacidade para 374 mil litros da bebida. Depois da visita, dê uma paradinha no bar com móveis da década de 30.

A bebida surgiu por volta do século 16, consumida apenas pelos escravos. Com o tempo, caiu no gosto popular e chegou a rivalizar com a produção do açúcar nos engenhos. Preocupada com a queda no consumo do vinho português, a Corte proibiu o comércio da aguardente. Mas não teve jeito. Portugal, então, decidiu cobrar altos impostos, o que motivou a Revolta da Cachaça, em 1660, no Rio de Janeiro.

Museu da Cachaça

Endereço: Sítio Ypióca – Maranguape, a 30 quilômetros de Fortaleza Telefone: (85) 3341-0407 Entrada: R$ 8, com direito a um copo de caldo de cana Horário: de terça-feira a domingo das 8h30 às 17h

Vodca - Rússia

Conhecida na Rússia há mais de cinco séculos, a vodca é orgulho nacional. O czar Pedro, o Grande, mandava distribuir a bebida gratuitamente aos operários que construiam a nova capital do Império, São Petersburgo, em meados do século 17. Pudera. Como se não bastasse o frio, eles trabalhavam submersos em pântanos de água geladíssima.

O museu reúne uma coleção de mais de 600 garrafas, de diferentes marcas e tamanhos, além de receitas para a fabricação que datam do século 18. E dá para conhecer os vários tipos do destilado feito à base de cevada, trigo, milho e até batatas. Uma das raridades é a garrafa de 1861, ainda cheia. A garrafa sobreviveu à lei seca imposta pelo czar Nicolau II, em 1914, e à chegada de Lenin ao poder três anos mais tarde, que mandou destruir todos os objetos relacionados ao antigo regime.

Após o tour, os visitantes conhecem o Tractir, uma réplica de um bar do século 19, onde podem provar doses da bebida. E conhecer o jeito russo de beber vodca: fria, mas não muito gelada, e de uma vez só, nunca aos golinhos. Za zdorov!

Museu da Vodca

Endereço: 73G, Izmailovskoye Shosse, Moscou Telefone: +7 (499) 166-50-97 Entrada: 100 rubros (cerca de R$ 5,50). A visita guiada em inglês custa 150 rubros (R$ 8,40). As entradas já incluem degustação Horário: Diariamente, das 10 às 20h

Saquê - Japão

Você vai se sentir como se estivesse em uma antiga fábrica de saquê. Enquanto percorre as salas do prédio bem conservado de 1909, o visitante escuta gravações cantadas por antigos trabalhadores. O museu exibe mais de seis mil ferramentas usadas nas diversas fases de fabricação da bebida, além de grandes barris.

À base da fermentação do arroz, o saquê representa abundância e riqueza. A bebida, que teria sido descoberta há mais de 1.500 anos, é oferecida aos deuses xintoístas nos rituais religiosos e também consumida em comemorações e festivais. Os japoneses costumam beber algumas doses debaixo de cerejeiras para comemorar a chegada da primavera.

E como tudo no Japãp obedece a um ritual, o saquê dever ser bebido em temperatura ambiente, em torno de 20ºC. O copo deve ser de porcelana branca com dois círculos azuis no interior, chamado de olho-de-cobra. Espere seu vizinho de mesa lhe servir, já que não é de bom tom servir a si próprio. Um dica: a tradição manda fazer um brinde, kampai, esvaziando o copinho num só gole.

Museu Gekkeikan Okura Sake

Endereço: 247 Minamihama-cho, Fushimi-ku, Kyoto Telefone: +81-(0)75-623-2056 Entrada: 300 ienes (em torno de R$ 6) Horário: 9h30 às 16h30

Whisky - Escócia

Nada mais escocês que o whisky. Fabricado desde o século 15, o museu, que fica ao lado do Castelo de Edimburgo, abriga a maior coleção da bebida símbolo do país. Chamada de aqua vitae, o destilado era inicialmente utilizada para fins medicinais. Não é à toa que um brinde vem sempre acompanhado da palavra “saúde”.

No museu multimídia, o passeio começa dentro de um barril. Nele, é possível acompanhar de forma interativa todo o processo de fabricação do autêntico scotch. Depois, visite a ala que abriga a maior coleção do mundo, com 3.384 garrafas, com registro no Guinness Book of Records. Detalhe: vendida ao museu em 2009, ela pertencia ao brasileiro Claive Vidiz, que reuniu as garrafas ao longo de 35 anos.

Na companhia de experts, o visitante conhece as diferenças entre single malt, blended e grain. E como ninguém é de ferro, degusta algumas doses para descobrir se seu paladar prefere os aromas frutados ou doces. Mas nada de whisky on the rocks, hein? No clima frio escocês, o hábito é apreciar o legítimo single malt puro sem uma pedrinha de gelo.

Scotch Whisky Experience

Endereço: 354 Castlehill, The Royal Mile, Edimburgo Telefone: 0131-220-0441 Entrada: a partir de 12 euros, com direito à degustação Horário: Diariamente, das 10 às 18h30

França - Vinho

As galerias subterrâneas abrigam mais de duas mil ferramentas e objetos usados na fabricação e degustação do vinho. Repare nas antigas taças medievais feitas de metal e nos curiosos tipos de saca-rolhas. Também é possível acompanhar a história do vinho em várias regiões do país como Bordeaux e Champagne.

O museu está instalado nos porões da antiga abadia de Passy, em Paris. No século 13, os frades colhiam os cachos de uva nas encostas do Rio Sena e armazenavam o líquido em barris, onde permanecia quase na penumbra por meses. O Rei Luís 13 era um dos maiores fãs do vinho tinto suave produzido ali. Fechado durante a Revolução Francesa, o local só foi descoberto recentemente.

Se quiser estender o passeio, visite o sofisticado restaurante, que também faz parte do complexo e serve cozinha tradicional francesa. Ou aprecie vários tipos de vinhos nas aulas de degustação, acompanhadas com os bons queijos produzidos no país. Tudo no subsolo parisiense!

Musée du Vin

Endereço: Rue des Eaux - 5, square Charles Dickens, Paris Telefone: 00 (33) 1-45-25-6326 Entrada: a partir de 11,90 euros, com direito a uma taça de vinho Horário: de terça a domingo, das 10 às 18h

veja também