A importância de compreender a soberania de Deus

As Sagradas Escrituras são enfáticas sobre soberania de Deus, porque é uma verdade bíblica e não pode ser negada.

Fonte: Guiame, Ediudson FontesAtualizado: terça-feira, 12 de julho de 2022 17:42
(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

A palavra soberania, segundo o dicionário Aurélio significa: “poder ou autoridade suprema” (AURÉLIO, 2014. Página 704). Essa definição do dicionário só se aplica a um ser: Deus. As Sagradas Escrituras são enfáticas sobre soberania de Deus, porque é uma verdade bíblica e não pode ser negada. Em Genesis 1:1, essa verdade é declarada: “No princípio, criou Deus os céus e as terras”. A Bíblia não se preocupa em explicar a origem de Deus. O Seu objetivo é apresentar que existe um Deus grande e maravilhoso que é eterno e criador de todas as coisas, e todos que se aproxima Dele, tem que crer que Ele exista (Hb 11:6). Segundo Bruce Milce, “Sua existência e autorrevelação são os pressupostos finais da fé bíblica” MILCE, 2005. Página 53).  Aqueles que negam  Sua existência, estão sob o Seu controle, porque não tem como fugir da Sua existência e do Seu governo. O reformador João Calvino afirmou que “uma vez que sua majestade resplandece em todas suas obras e em todas suas criaturas, os homens devem reconhecê-lo nelas, porquanto elas são uma viva demonstração de seu Criador” (CALVINO, 2018. Página 73).   A soberania de Deus é uma doutrina bíblica rica e fundamental para a fé cristã. É inadmissível que o cristão verdadeiro negue essa importância bíblica. Deus é Senhor, e nós somos seus servos. Na oração do Pai-nosso que o nosso Senhor Jesus que nos ensinou, começa com esse princípio: “Pai nosso que estas nos céus” (Mt 6:9). O verdadeiro filho de Deus, reconhece essa riqueza bíblica e teológica na sua vida. Somos dependentes do Pai, e o louvamos pela Sua grandeza!

Existe uma heresia que é chamada de “deísmo”. Esse pensamento ensina que Deus fez o mundo e deixou o mesmo a seguir a sua própria sorte. Embora alguns cristãos acreditarem nessa visão, não há cabível essa visão com a doutrina bíblica. Em Salmos 93:1 diz: “O Senhor reina; está vestido de majestade; o Senhor se revestiu e cingiu de fortaleza; o mundo também está firmado e não poderá vacilar”. Deus não apenas criou o mundo, mas governa nele. Ele não deixou o mundo a “própria sorte”. Ele sustenta o mundo e todos os seus habitantes (Sl 24:1). Ele faz isso porque é soberano. Langston, afirma que “O universo é criação de Deus, que lhe deu existência e que reconhece como tal. Por isso mesmo, o universo tem direto à proteção de Deus, que é o seu Criador” (LANGSTON, 2019. Página 105).  Deus sendo soberano, intervém em qualquer situação da história da humanidade. No Antigo Testamento, Deus demonstrou o Seu poder na nação israelita. Situações como abertura do Mar Vermelho, as conquistas na Terra de Canaã e outras, são provas da ação soberana de Deus da nação de Israel. No Novo Testamento, os evangelhos narram a demonstração de poder de Deus no ministério do Senhor Jesus. O Deus-Filho se fez homem para demonstrar ao mundo o amor de Deus a humanidade (Jo 3:16). Isso é ato soberano. Na igreja primitiva, o Espírito Santo capacitou os discípulos na pregação do evangelho (At 1:8). O Deus-Espírito Santo operando na Sua Igreja. Louvemos a Santíssima Trindade pela Sua soberania!

Deus é soberano em todo momento. No mundo que vive em crise de identidade, Deus continua sendo soberano. Em uma sociedade pluralista que relativiza a verdade, Deus continua sendo a verdade absoluta porque é soberano. A única verdade que liberta e transforma os humanos é Jesus Cristo (Jo 8:32,36; 14:6). As crises religiosas que tem afetado o mundo, não ofende a soberania de Deus. Nada nessa vida tira Deus na Sua soberania. Louvemos a Deus pela Sua soberania!

Bibliografias

AURÉLIO. Mini Aurélio – O dicionário da Língua Portuguesa. Curitiba. Editora Positivo.

MILCE, Bruce. Estudando as Doutrinas da Bíblia. São Paulo. Editora ABU. 2005.

CALVINO, João. Romanos – Série Comentário Bíblico. São José dos Campos/SP. Editora Fiel. 2018. 

LANGSTON, A. B. Esboço de Teologia Sistemática. Rio de Janeiro. Convicção Editora. 2019.

Ediudson Fontes é Pastor auxiliar da Assembleia de Deus – Ministério Cidade Santa no RJ. Teólogo. Pós-graduação em Ciência das Religiões. Mestrado em Teologia Sistemática. Professor de Teologia, autor das obras: “Panorama da Teologia Arminiana”, “Reforma Protestante e Pentecostalismo – A Conexão dos Cinco Solas e a Teologia Pentecostal” e “A Soteriologia na relação entre Arminianismo e Pentecostalismo”, todos publicados pela Editora Reflexão. Casado com Caroline Fontes e pai de Calebe Fontes.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: A importância dos dons espirituais na Igreja

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições