MENU

Identidade Familiar como ferramenta de prevenção às drogas

Identidade Familiar como ferramenta de prevenção às drogas

Atualizado: Sexta-feira, 26 Outubro de 2012 as 10:28

 

Paz!
 
Para quem não sabe, trabalho com palestras sobre prevenção ao uso de álcool e drogas e com reinserção de adictos (usuários em recuperação) ao mercado de trabalho por que eu sou dependente químico, limpo há 13 anos. Eu vivi o inferno das drogas por 7 anos da minha vida, com inúmeras paradas e recaídas ao longo desse tempo. Tenho larga experiência no drama e dor que a droga traz na vida de alguém.
 
Hoje, porém, meu texto vai para os pais que, infelizmente, têm sofrido tanto com filhos se perdendo no consumo dessas substâncias. E preparem-se, minhas palavras serão duras.
 
Queridos pais, a maior razão de filhos usarem álcool e drogas é um lar desestruturado. Sim, lares desequilibrados formam jovens desequilibrados. Você pode estar se questionando: “mas e aqueles jovens que nasceram em lares cristãos, à luz da palavra, criados na igreja...” Ou então pode me perguntar “mas e os pais que sempre deram do bom e do melhor, boas escolas, viagens, roupas, tudo...?”
 
Pais, seus filhos querem essencialmente duas coisas: amor e limites. Toda criança e jovem anseia por um lar onde seja amado e que os limites sejam bem estabelecidos. Vivemos numa época de modismos, da aceitação de valores impostos pela mídia, da “coisificação” do ser humano, do imediatismo. Muitos pais se deixam levar por tudo isso, por estarem muito ocupados ganhando dinheiro para pagarem as contas ou pensando no sucesso de suas carreiras. Ficam longe dos filhos e tentam suprir essa ausência com bens materiais de todo o tipo. Há ainda os que fogem na contramão da modernidade e criam lares autoritários, não dando voz aos pensamentos e vontades de crianças e adolescentes. São impositivos e muitas vezes tiranos com a desculpa de que estão protegendo a família.
 
Queridos, o equilíbrio é a solução! Temos que criar uma identidade familiar baseada na integração e mesma linguagem entre pai e mãe, mas com a participação ativa dos filhos. Quem guia uma família saudável são pais presentes, que conversam com os filhos e conhecem suas dificuldades. São pais que sabem cobrar respeito e impor limites sem usar violência ou medo. Pais que sabem respeitar a dignidade da pessoa, tanto entre si como com os filhos. Os pais só conseguem transmitir seus valores adiante se os filhos entenderem o que se quer dizer. E para que eles entendam é fundamental saber como dialogar com cada um. Sim, cada um deles, pois são pessoas diferentes. A mensagem que é boa para um pode ser terrível para outro. Por isso é importante conhecer a personalidade dos seus filhos, o que eles gostam, como reagem às situações, quais os medos deles. Para isso é preciso tempo, paciência, curiosidade, interesse e amor, muito amor.
 
Invista na construção desse relacionamento, vale a pena!
 
Deus nos abençoe
 
por Marcelo Palma
facebook.com/MarceloPalmaPersonalCoach
www.marcelopalma.com.br
 

 

veja também