MENU

Programa de Internação Involuntária: Garimpo de Vidas!

Programa de Internação Involuntária: Garimpo de Vidas!

Atualizado: Segunda-feira, 21 Janeiro de 2013 as 3:35

 

internação- drogasPaz!
 
Começou segunda-feira, 21.01.2012 o programa de internação compulsória de usuários de drogas do governo do estado de São Paulo. Essa ferramenta de emergência permite que familiares peçam a internação involuntária do adicto, ou seja, sem consentimento da pessoa viciada.
 
Vamos explicar melhor: os parentes de um usuário contínuo de álcool ou drogas poderá procurar o Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas do Estado), onde haverá um juiz, um promotor e um integrante da OAB e eles decidirão se existe realmente a necessidade da internação. No Cratod existem profissionais especialistas da área da saúde que são referência no tratamento de tabaco, álcool e demais drogas e que darão o parecer médico a respeito de cada caso. A internação involuntária é prevista na lei da psiquiatria, desde que um médico assine que exista a necessidade de tal procedimento.
 
Como já me manifestei em outro texto dessa coluna (Vale a pena internar um drogado ou alcoólatra contra a vontade dele?) sou favorável a esse tipo de intervenção. Existem casos onde o adicto já não tem mais capacidade de pedir ajuda, tamanho o comprometimento físico, mental e espiritual com o vício.
 
Tenho ouvido muitos comentários contrários a esse tipo de internação, inclusive do padre Julio Lancelloti, defensor do direito dos moradores de rua. Ele teme que a exceção vire regra e que muitos sejam internados contra sua vontade. O argumento usado pelas pessoas que são contrárias ao procedimento é de que apenas 2% dos internados involuntariamente se recuperam e não voltam à vida do vício.
 
Aí eu faço a todos vocês a seguinte pergunta: A vida desses 2% que serão salvos com o tratamento não vale a pena? Temos que pensar em índices e porcentagens quando se trata de salvar vidas? Os numéricos de plantão que me desculpem mas só quem vive o drama de ter um ente querido escravo do vício é que sabe o quanto vale a pena fazer todo o esforço do mundo para salvá-lo.
 
Torço para que esse programa seja gerido com toda a seriedade necessária e que muitas vidas encontrem salvação através dele.
 
Deus nos abençoe 
 
www.marcelopalma.com.br
 

veja também