MENU

Lições em meio a dores

Parece uma loucura quando olhamos para a pandemia do COVID-19 dizer que algo de bom pode sair desse caos.

fonte: Guiame, Melina Botteghin

Atualizado: Quinta-feira, 7 Maio de 2020 as 11:47

Mulher em lágrimas em meio à pandemia de Covid-19 em Lima, no Peru. (Foto: Rodrigo Abd/AP)
Mulher em lágrimas em meio à pandemia de Covid-19 em Lima, no Peru. (Foto: Rodrigo Abd/AP)

“É melhor ir a uma casa onde há luto do que a uma casa em festa, pois a morte é o destino de todos; os vivos devem levar isso a sério!” (Eclesiastes 7:2)

Uma vez escutei de uma psicóloga famosa: “Podemos aprender algo de bom até no meio de um velório”.

Apenas quem já esteve diante do caixão de um ente querido sabe a dor da despedida e o quanto que é custoso um adeus. Só os que choraram a perda sabem o gosto salgado das lágrimas e como a vida pode trazer surpresas ruins do nada. Mas ao mesmo tempo, não conheço uma pessoa que esteja diante de um corpo sem vida, e que não seja enfrentada dentro de si mesma

Quer um exemplo? Você pensa que poderia ter feito mais, que poderia ter saído mais cedo do trabalho para passar cinco minutos na casa da sua avó antes de ir para casa. Que poderia ter dado um beijo mais longo, um abraço mais apertado, então você promete a si mesmo que vai mudar. Que vai fazer diferente com os que ficaram.

Mas aí a rotina vem e com ela, o seu tempo fica escasso novamente e sem perceber você recomeça o padrão de antes.

Na vida, tudo tem um propósito. As coisas boas e as ruins sempre têm algo a nos ensinar.

A Palavra de Deus revela em Romanos 8:28 “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”

Parece uma loucura quando olhamos para a pandemia do COVID-19 dizer que algo de bom pode sair desse caos. É como se a humanidade toda estivesse assistindo um grande velório sem saber quem será o próximo corpo a ser baixado.

As informações estão tão desencontradas que não sabemos como lidar com elas. A origem do vírus é duvidosa, o tratamento para o vírus não é substancial, será que haverá uma vacina? Já a encontraram? Ela funciona?

Uma das coisas que Deus tem reafirmado esses dias é que quem perdeu o controle foi a humanidade e não Ele. (Amém?) Ele está no trono e não saiu de lá. Ele continua sendo Deus. Ele continua sendo fiel, amoroso e poderoso. Ele continua o mesmo Deus que criou o universo com o poder de uma palavra.

“Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.” (Apocalipse 1:8)

Quem Ele é não depende e nunca dependeu das circunstâncias.

Então se sabemos que Deus permitiu que isso acontecesse, talvez haja uma lição a ser aprendida nesse processo. Deus costuma nos levar ao deserto para falar de amor.

“Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração.” (Oséias 2:14)

Com um propósito muito especial.

“Ali devolverei a ela as suas vinhas, e farei do vale de Açor uma porta de esperança. Ali ela me responderá como nos dias de sua infância, como no dia em que saiu do Egito.” (Oséias 2:15)

Restauração e não aflição. Devolução e não perda.

Vamos olhar para essa pandemia na perspectiva do deserto. Ela tem sido o grande ‘recall’ de Deus, dos últimos tempos. Deus tem nos chamado de volta para casa. E quando Ele fala de casa, Ele fala de nós mesmos e das nossas relações familiares tão abaladas nos tempos atuais.

Estar com nós mesmos e com a nossa família por mais tempo. Quando que, nesse mundo maluco do ‘time is money’ nós estaríamos dentro de casa por tanto tempo?

Quando você poderia se avaliar tanto? Ou escutar seu cônjuge com riqueza, ou rir das pequenas coisas que seus filhos fazem? Qual foi a última vez que você passou tanto tempo em casa?

Nunca a palavra ‘lar’ ganhou tanto sentido.

A quanto tempo você não era confrontado sobre si mesmo?

Olhar dentro de si pode ser assustador às vezes. Essa é a função do velório de alguma forma, além da despedida. É olhar dentro de si e se perguntar, se fosse eu ali, eu iria me encontrar com o Pai com a ‘casa’ limpa? Meu coração está pronto para ser chamado?

A pandemia não veio para te destruir, ela veio para te reconstruir. Esteja atento aos tijolos que Deus está recolocando, ao cimento que Ele está preparando. A novas paredes que Ele está erguendo e aos muros que Ele está destruindo.

“Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer. Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: ‘Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel?’ diz o Senhor. ‘Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.’” (Jeremias 18:4-6)

Deus está movendo a humanidade. Recolando valores, e você está sendo parte de um projeto de recomeço. Deus está devolvendo a sua voz para que você volte a cantar. Seja bem-vindo novamente ao primeiro amor.

Por Melina Botteghin, publicitária e estudante de Teologia. Esposa, mãe e missionária por vocação.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Uma vida sem remendos, mas de vestes novas

 

veja também