O que a Bíblia diz sobre empréstimos financeiros

Deus deseja que, ao emprestar dinheiro a alguém, você não cobre juros. Aliás, se você puder dar sem exigir nada de volta, será a melhor coisa a fazer.

Fonte: Guiame, Paulo de TarsoAtualizado: quarta-feira, 15 de julho de 2020 14:26
(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Na minha leitura do livro de Êxodo achei uma pérola de sabedoria que quero compartilhar com você. O assunto diz respeito empréstimos financeiros. 

Você já emprestou dinheiro a alguém? Ou já tomou dinheiro emprestado? É um assunto delicado, não acha? Então vamos ver o que podemos aprender com a Palavra de Deus sobre isso. 

O texto que encontrei diz: Se você emprestar dinheiro a algum pobre do meu povo, não faça como o agiota, que cobra juros. (Êxodo 22.25). E aí, o que você acha disso? Quando você empresta dinheiro a alguém, você cobra juros? 

Aqui é preciso entender que Deus tinha uma preocupação com as pessoas que eventualmente estivessem em necessidade financeira. A ideia central era: não explore seu irmão que já está em dificuldade financeira. Se você quer ajudar a pessoa, não pode explorar suas necessidades para levar vantagem financeira. 

Infelizmente essa orientação não foi levada muito a sério pelo povo. A Bíblia relata muitos eventos em que a cobrança de dívidas levava as pessoas a sofrerem muito, inclusive com a possibilidade real de se tornarem escravas por conta de dívidas não pagas e porque os juros cobrados chegavam a ser exorbitantes. 

Neemias, por exemplo, teve de lidar com esse tipo de situação. As pessoas estavam sendo exploradas pela cobrança de juros. Então Neemias denunciou isso, dizendo: Eu e os meus companheiros, e os homens que trabalham para mim temos emprestado dinheiro e trigo ao povo. E agora vamos perdoar essa dívida. Portanto, vocês também, perdoem todas as dívidas deles — dinheiro, vinho ou azeite (Neemias 5.10,11). 

Aí as pessoas que tinham emprestado cobrando juros responderam: Está bem. Nós vamos fazer o que você está dizendo. Vamos devolver as propriedades e não vamos cobrar as dívidas (Neemias 5.12). 

Como então isso pode impactar a forma como você está emprestando a pessoas necessitadas?

Vejamos agora como foi que Jesus aprofundou em muito esse princípio quando disse: Amem os seus inimigos e façam o bem para eles. Emprestem e não esperem receber de volta o que emprestaram e assim vocês terão uma grande recompensa e serão filhos do Deus Altíssimo. Façam isso porque ele é bom também para os ingratos e maus (Lucas 6.35).

Trata-se realmente um desafio para mim e você. Na verdade, a não-cobrança de juros constitui um ato de generosidade, e é isso que Deus deseja daqueles que se dizem seus seguidores. Contudo, não é algo que possa ser colocado em prática facilmente. Só com a ajuda do Espírito Santo podemos ser bem-sucedidos nessa questão. Porque, como diz Jesus, sem mim vocês não podem fazer nada. 

Conclusão: Deus deseja que, ao emprestar dinheiro a alguém, você não cobre juros. Aliás, se você puder dar sem exigir nada de volta, será a melhor coisa a fazer.

Por Paulo de Tarso, pastor, engenheiro e mestre em Teologia. Fundador do Ministério Finanças para a Vida, que ensina pessoas de todas as idades a administrar o dinheiro de acordo com a Bíblia. É autor dos livros “Sucesso Financeiro” e da série “Finanças em Ação”.

*O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Você se preocupa com as pessoas financeiramente necessitadas?

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições