Como lidar com a ansiedade

A Palavra de Deus nos ensina como lidar com a ansiedade, e é sobre isso que iremos refletir hoje.

Fonte: Guiame, Ricardo SoaresAtualizado: quarta-feira, 23 de março de 2022 18:12
(Foto: StockSnap / Pixabay)
(Foto: StockSnap / Pixabay)

“Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês”. 1 Pedro 5:7

INTRODUÇÃO

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), antes da pandemia o Brasil já era o país mais ansioso do mundo, contando com 8,6 milhões de pessoas sofrendo desse transtorno[1]. Com a pandemia, esse quadro se agravou profundamente. Só para se ter uma ideia, em abril e maio de 2020, o termo “insônia” foi o mais pesquisado no Google. Além disso, houve um aumento de 80% na venda de calmantes, antidepressivos e estabilizadores de humor.

E a grande verdade, é que a ansiedade faz parte da natureza caída do ser humano, é um dos resultados do pecado, ou seja, é um transtorno que todos nós experimentamos em maior ou menor grau.

Sendo assim, por mais que tratemos da melhor forma possível, não a eliminaremos de nossas vidas por completo, pelo menos não até à volta de Cristo, quando teremos nossos corpos transformados semelhantes ao corpo glorioso de nosso Senhor (Filipenses 3:20-21).

Mas enquanto estamos vivendo aqui, na terra, temos que aprender à lidar com todas as mazelas advindas do pecado, inclusive a ansiedade. E dentre muitos ensinamentos que a Palavra de Deus nos traz, ela também nos ensina como lidar com ela e é sobre isso que iremos refletir hoje.

1 – NOS HUMILHANDO (v. 6)

Nosso texto base é bem simples e fácil de entender e diz que nós devemos “lançar” nossa ansiedade sobre Cristo. Porém a pergunta que geralmente surge ao lermos esse texto é: como fazemos isso?

E a resposta se encontra no verso anterior: “Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus...” E a palavra “humilhem-se”, pode ter vários sentidos e o mais comum é de “se rebaixar”.

Porém o sentido da palavra no original, é de ter uma opinião modesta de si mesmo[2].

Ou seja, a 1ª atitude que devemos tomar ao lidar com a ansiedade, é o reconhecimento de que não temos controle de nada, pois o poder está na “...poderosa mão de Deus...”. Então, se eu fosse responder à um questionamento sobre como lidar com a ansiedade, eu diria que o primeiro passo, é nos humilhar.

Por isso Pedro diz: “...humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus...”, para ficar muito claro que o poder é d’Ele, que o controle é d’Ele, que quem faz, é Ele.

Quando estamos ansiosos é muito comum nos tornarmos insensíveis à voz de Deus, e também é muito comum nesses momentos, procurarmos resolver as coisas do nosso modo, sem buscar uma direção d’Ele.

E o que o apóstolo Pedro quer aqui, é nos levar ao reconhecimento de nossa pequenez e ao mesmo tempo, ao reconhecimento da grandeza do poder de Deus. Isso significa confiar plenamente n’Ele, aceitar humildemente o seu bom propósito para nossas vidas e ao mesmo tempo, ter consciência da segurança que nós desfrutamos quando estamos debaixo de sua poderosa mão.

2 – LANÇANDO SOBRE ELE NOSSAS ANSIEDADES (v.7)

E se no verso 6, Pedro diz que o 1º passo que devemos dar para lidar com a ansiedade é nos humilhar debaixo da potente mão de Deus, na sequência, no verso 7, ele então nos diz que devemos lançar sobre Ele, nossas ansiedades. E aqui eu quero chamar a sua atenção para algo bem interessante.

A palavra “lancem”  no original, indica o ato de “lançar sobre” ou “colocar em”. Ou seja, dá a ideia de arremessar alguma coisa tendo um alvo bem definido. Não é arremessar de qualquer forma ou sem foco.

Então quando o apóstolo Pedro diz “Lancem sobre ele toda a sua ansiedade...”, isto significa lançar as nossas ansiedades para longe de nós, mas não sobre qualquer alvo; mas sobre o Senhor.

Isso nos mostra em 1º lugar, que esse lançar, é um ato consciente e intencional. E essa consciência e intencionalidade começa quando nos humilhamos debaixo da potente mão de Deus, como vimos anteriormente, e continua quando levamos nossas preocupações e ansiedades até Ele em oração, assim como Paulo direcionou a igreja de Filipos:

“Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus”. Filipenses 4:6

Além da consciência e intencionalidade, esse “lançar” também nos mostra que deve haver algum esforço de nossa parte. Existe uma modalidade esportiva olímpica chamada lançamento de disco, e na prova masculina, o homem deve arremessar um disco que pesa 2 kilos. O recorde até agora é de um atleta alemão chamado Jürgen Schult, que conseguiu arremessar o disco à uma distância de 74,08 metros! Imagina o esforço empregado por ele para atingir o alvo.

Da mesma forma, deve haver um esforço de nossa parte para lançar nossas ansiedades sobre Ele, e isso se dá porque gostamos de ter o controle de tudo.

E existe algo que nos incentiva a ser conscientes, intencionais e a nos esforçar para lançar nossas ansiedades sobre Cristo: a garantia que ele tem cuidado de nós.

Quando Pedro escreveu essa carta, a igreja estava passando por uma grande provação, algo que era muito comum para a igreja do 1º século. No decorrer da carta o apóstolo fala sobre injúrias (4:4,14), sobre acusações caluniosas (2:12, 3:16) e até bofetadas (2:20). E apesar disso tudo o que eles estavam enfrentando, Pedro quis lembra-los que Deus estava cuidando deles.

E isso serve para nós hoje também. Não podemos nunca nos esquecer disso, por pior que seja a situação que estamos vivendo, Ele tem cuidado de nós. Ele não nos abandona.

3 – SENDO SÓBRIOS E VIGILANTES (v. 8-9)

Se no verso 6, Pedro diz que o 1º passo que devemos dar é nos humilhar debaixo da potente mão de Deus, e no verso 7, ele diz que devemos lançar sobre Ele, nossas ansiedades, pois Ele tem cuidado de nós, No verso 8 temos a famosa passagem onde Pedro nos direciona à sermos sóbrios e vigilantes:

“Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar”.

E nesse texto, temos algumas coisas para considerar:

  • Sobre a sobriedade e vigilância – Uma pessoa que não está sóbria, é aquela que ou está embriagada ou que está drogada, ou seja, não está no controle de suas faculdades mentais. A sobriedade então tem o sentido de não perder o controle.

E o interessante é que a palavra grega para ansiedade, vem de uma raiz que expressa a ideia de “distração”, e é exatamente isso que ela faz conosco, nos distrai, nos tira do foco, de certa forma, nos deixa “embriagados”.

Então quando Pedro diz para sermos sóbrios e vigilantes, é nesse sentido, tomar cuidado para que a ansiedade não tire nossa capacidade de raciocinar.

  • O diabo é o nosso inimigo – Outro ponto interessante de observar é que Pedro deixa claro quem é nosso inimigo, o diabo. E isso é importante, pois é muito comum, quando estamos ansiosos procurarmos alguém ou algo para culpar.

Devemos lembrar que os leitores originais estavam sendo perseguidos por pessoas de carne e osso, mas o apóstolo deixa claro quem era de fato seu inimigo.

Isso nos lembra o que Paulo escreveu a igreja de Éfeso: “...nossa luta não é contra pessoas...” (Efésios 6:12) e isso vale para nós hoje também.

  • Procura a quem possa devorar – Além de reconhecer quem é o nosso inimigo de verdade, é importante saber que sua forma de agir é buscando alguém que possa tragar ou devorar, ou seja, alguém que esteja fraco.

Por isso Pedro diz que ele, o diabo está ao redor “como um leão”. Os leões atacam os animais doentes, jovens ou dispersos; escolhem vítimas que estão sozinhas ou distraídas.

Isso nos mostra a importância da sobriedade e da vigilância. Sem elas nos tornamos presas fáceis do nosso inimigo.

E dando sequência ao raciocínio que ele começou no verso 8, no verso 9, Pedro diz que devemos resistir ao diabo e permanecermos firmes na fé.

E talvez você questione; “como eu resisto ao diabo?” Tiago responde essa pergunta:

“Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”. Tiago 4:7

Note que em 1º lugar, vem a sujeição à Deus. Ela é o meio que nos dá condições de oferecer resistência de forma que o inimigo fuja de nós.

Mas o que é se sujeitar a Deus? É exatamente ouvir e obedecer a sua Palavra. É a única forma de permanecermos firmes na fé.

E Pedro finaliza o verso 9 com uma palavra de conforto, dizendo que não estamos sozinhos nessa peleja e que nossos irmãos, espalhados por todo o mundo tem passado pelos mesmos sofrimentos.

CONCLUSÃO

“Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar”. 1 Pedro 5:10

O apóstolo Pedro finaliza esse trecho de forma magnifica, não só nos lembrando que o nosso sofrimento aqui é passageiro e pequeno quando comparado a eterna glória que vamos experimentar como também nos ensina que Cristo, usará cada uma dessas situações para nos aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar (1 Pedro 5:10 ARA).

“A ele seja o domínio, pelos séculos dos séculos. Amém!" 1 Pedro 5:11

Ricardo Soares é pastor, professor de teologia, filosofia e autor de "Introdução à Filosofia Cristã: o encontro da fé com a razão". É casado com Sarah e pai de duas filhas: Pâmela e Polyana. Para saber mais, acesse contrapontoteologico.com.br

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Objetivos do Cristão - Colossenses 1:9-12

 

[1] https://saude.abril.com.br/blog/com-a-palavra/ansiedade-em-tempos-de-covid-19-sera-que-ela-vai-embora-apos-a-vacina/

[2] Strong, J. (2002). Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições