MENU

Eu não sou a minha roupa

Sou uma pessoa criada por Deus, com um passado, presente e futuro.

fonte: Guiame, Saulo Porto

Atualizado: Quinta-feira, 18 Junho de 2020 as 4:06

(Ilustração: Saulo Porto)
(Ilustração: Saulo Porto)

Eu não sou a minha roupa. Embora o vestir faça parte da minha vida, nunca será suficiente para ser o fator principal da minha identidade. Uma roupa nada mais é do que uma vestimenta exterior, que não tem significado algum quando separado da pessoa que a usa.

Agora, o pecado é uma roupa que teima dizer que sou eu. Imagine se esta roupa que uso agora, saísse por aí dizendo para os outros: “Olá, eu sou o Saulo”. As pessoas na hora saberiam que é mentira. Mas quando se trata de pecado, muitas vezes usamos esta roupa velha para nos identificar e até nos relacionar com outros. Nenhum relacionamento consegue ser profundo quando pautado apenas por aquilo que se veste (existencialmente também, quando contamos apenas o que as pessoas fazem, e principalmente de errado).

Quando andamos com Deus, Ele vê além das “velhas roupas” que vestimos. Ele vê a pessoa humana, que Ele criou e ama. Ele vai além da aparência enxergando o que nem mesmo nós conseguimos ver. E é por essa perspectiva que Deus se aproxima das pessoas. Para extrair delas alguém de verdade, que vá além das vestes, da aparência e dos pecados. Deus nunca irá rejeitar alguém pela roupa velha que escolheu vestir na vida. Ele sabe que é apenas uma roupa. E que roupas se sujam mesmo. Toda roupa é fácil de trocar quando a gente quer.

A questão é que nenhuma roupa serve quando o coração não está em paz. Antes de Deus oferecer novas roupas, oferece um novo coração. Com o novo coração, seremos capazes de trocar de roupa quantas vezes estas se sujarem, sem julgar os outros pelos rasgos ou manchas, e o melhor, nos aproximar das pessoas por aquilo que elas são de verdade.

Para Deus, até a pessoa com a roupa extremamente limpa pode estar pecando quando esconde o coração velho. Diferentemente, a pessoa com o novo coração saberá pra onde correr, até quando sujarem as próprias roupas.

E você? Se está à procura de uma roupa nova para esconder um coração velho, não vai dar certo.  É melhor receber o novo coração que Deus quer te dar, porque a roupa suja a gente limpa quantas vezes forem necessárias.

Tenham um bom dia!

Por Saulo Porto, teólogo e pastor, missionário da Missão Mãos Estendidas em Portugal e África, professor de Cosmovisão Bíblica na Jocum e estudante de Psicologia na Universidade do Algarve. Casado com a Juliana, com quem tem duas filhas, Alice e Nadine.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O Reino é mais semente plantada do que pedra atirada

veja também