MENU

O Reino é mais semente plantada do que pedra atirada

Nós podemos ter uma esperança diferente e dar uma resposta diferente.

fonte: Guiame, Saulo Porto

Atualizado: Quinta-feira, 4 Junho de 2020 as 12:56

(Ilustração: Saulo Porto)
(Ilustração: Saulo Porto)

Você acorda pela manhã, olha as notícias, os posts, as redes sociais e é só confusão.

Dá um sentimento ruim na gente... parece que ninguém entende mais ninguém. Fica na esperança de surgir algo novo, uma trégua, uma ideia de paz, até a vacina... sei lá... e nada. A angústia aumenta mais ainda.

De onde nós podemos tirar esperança num mundo tão quebrado? Sim, esse mundo está quebrado e precisando de um conserto. Há muito tempo. Quem o consertará? Não serão os religiosos, nem os cientistas, nem os políticos... (embora cada um tenha a sua importância). Não sabemos. Então o que fazemos? Transformamos o que temos ao nosso redor como arma de revolta. Sejam as mídias, as relações, os palanques, até os púlpitos... onde tem gente, tem pedrada. O que eu faço?

O reino das trevas se sustenta em cima da injustiça, da mentira, do engano. Do partidarismo e da vanglória. Do querer ser servido e não servir. Do querer reter, não entregar. Do não saber nem perder, nem ganhar. Pedras para um lado e para o outro. Seu propósito tenebroso é matar, roubar e destruir. Estamos no meio disso, conscientes ou não.

Devo me esconder? Devo me expor e atirar as minhas pedras também? Não. Não! Nós podemos ter uma esperança diferente e dar uma resposta diferente. O Reino estabelecido por Jesus está a se expandir. Nós fazemos parte dele, e quanto mais do nosso coração sujeitamos à Sua autoridade, maior será a sua vontade na terra.

O Reino de Deus se estabelece dentro das pessoas, e se expande manifestando verdade e luz. Jesus já nos disse que o Reino de Deus é semelhante ao grão de mostarda. Começa pequeno, mas se torna a maior das árvores. É semente porque sua transformação é silenciosa, natural, ocorre de dentro para fora, num processo que ninguém pode evitar. Pode apostar que o Reino é a solução.

Fazer parte do Reino, nesses tempos, significa abrir mão de si mesmo para encarnar a vontade do Rei, comprometer-se com o que é eterno, porque o mundo passa, e as suas concupiscências. Eu estou largando as minhas pedras ao chão. Vou pegar a minha pequena semente, plantarei no meu coração, para que dali saia transformação, vida e refúgio para quem precisar.

E você, o que tem nas mãos? Pedras ou sementes?

Mostra-me o que tem nas mãos e direi para quem você trabalha.

Por Saulo Porto, teólogo e pastor, missionário da Missão Mãos Estendidas em Portugal e África, professor de Cosmovisão Bíblica na Jocum e estudante de Psicologia na Universidade do Algarve. Casado com a Juliana, com quem tem duas filhas, Alice e Nadine.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Onde posição e poder não significam muita coisa

veja também