Mulheres que se mantêm virgens até o casamento estão menos propensas ao divórcio, diz pesquisa

O estudo conduzido pelo professor Nicholas H. Wolfinger, da Universidade de Utah (EUA), também revelou que é cada vez menor o número de mulheres que optam pela preservação da virgindade até o casamento.

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: terça-feira, 7 de junho de 2016 12:18
O o estudo constatou que é cada vez mais crescente o número de mulheres que tiveram 10 ou mais parceiros sexuais antes do casamento.
O o estudo constatou que é cada vez mais crescente o número de mulheres que tiveram 10 ou mais parceiros sexuais antes do casamento.

Mulheres que conseguiram se manter virgens até se casarem com seus respectivos maridos estão menos propensas a se divorciar depois de cinco anos, mas estas noivas estão se tornando uma raridade, de acordo com os resultados de um novo estudo divulgado na última segunda-feira (6), pelo Instituto de Estudos da Família.

O estudo também descobriu que as mulheres casadas ​​desde o ano 2000, que tiveram apenas dois parceiros sexuais antes do casamento estavam surpreendentemente mais propensas a se divorciarem no após cinco anos. Além desses dados, o estudo constatou que é cada vez mais crescente o número de mulheres que tiveram 10 ou mais parceiros sexuais antes do casamento.

As mudanças sociais nas atitudes com relação ao sexo antes do casamento são parcialmente responsáveis por este quadro. A maioria dos americanos atualmente - de acordo com os últimos estudos - acreditam que o sexo pré-marital é aceitável e são suscetíveis de terem três ou mais parceiros sexuais antes do casamento.

O estudo divulgado na última segunda-feira foi conduzido por Nicholas H. Wolfinger, professor da área de Estudos da Família e do Consumidor, na Universidade de Utah, que recentemente tem abordado assuntos como: religião, sexo, filhos e casamento entre afro-americanos e latinos, em co-autoria com W. Bradford Wilcox.

Wolfinger usa dados das três ondas mais recentes da Pesquisa Nacional de Crescimento Familiar, recolhidos em 2002, 2006-2010 e 2011-2013. Os resultados, diz ele, destacam a ligação complexa entre sexo antes do casamento e estabilidade conjugal.

"Pesquisas anteriores descobriram que ter múltiplos parceiros sexuais antes do casamento pode levar a casamentos menos felizes, e muitas vezes aumentaram as chances de divórcio. Mas as atitudes e comportamentos sexuais continuam a mudar na América e são alguns dos mais fortes preditores de divórcio nos anos passados", observou Wolfinger sobre suas descobertas.

A maioria das mulheres com experiência sexual mínima ou que tenha optado pela abstinência sexual antes do casamento citou a religião como um fator que as levou a esta decisão.

"Uma das razões mais comuns para a abstinência sexual pré-marital é a religião e os dados da pesquisa apoiam tal interpretação. ... As mulheres que se casam virgens são muito mais propensos do que outras mulheres para irem à igreja pelo menos uma vez por semana", disse Wolfinger.

"É também digno de nota que os casamentos nos quais os cônjuges são virgens foram constatados como maioria entre as mulheres religiosas entre os anos 1980 e 2000. Além disso, durante os mesmos anos, a taxa de divórcio para casamentos nos quais as noivas se casaram virgens continuou a cair. Esses resultados fazem sentido à luz do fato de que as pessoas que frequentam a igreja têm taxas de divórcio mais baixas do que as não-participantes", acrescentou.


Biografia sexual
O coordenador do estudo ainda explicou que, apesar da aparente "liberdade" pelas quais as mulheres optaram com as relações sexuais antes do casamento, a possibilidade de ter muitos parceiros também irá escrever a sua "biografia sexual".

"Claro, as mulheres aprendem sobre a viabilidade do sexo fora do casamento se elas têm múltiplos parceiros sexuais antes do casamento, mas com múltiplos parceiros, cada um representa uma pequena parte da biografia sexual e romântica de uma mulher", destacou. "[Para elas] ter dois parceiros pode conduzir à incerteza, mas ter um pouco mais aparentemente leva a uma maior clareza sobre o homem certo para casar. Porém as chances de divórcio são mais baixas se não houver nenhum parceiro sexual antes do casamento", acrescentou.

O estudo também revelou que pessoas que cresceram sem a presença de ambos os pais no lar tiveram mais parceiros e se divorciaram mais.

"Não vai ser surpreendente para a maioria dos leitores que as pessoas com mais parceiros sexuais pré-matrimoniais têm maiores taxas de divórcio, em termos gerais. Dito isto, esta breve pesquisa pinta um quadro bastante complicado da associação entre sexo e estabilidade conjugal que, finalmente, levanta mais perguntas do que pode responder", disse Wolfinger.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições