Israel anuncia medicamento capaz de curar 100% os doentes de Covid-19 em condições graves

O Dr. Nadir Arber disse à Rádio Israel que a primeira fase do estudo foi “bem-sucedida, a droga é totalmente segura e eficaz”.

fonte: Guiame, com informações do GOD TV

Atualizado: Terça-feira, 9 Fevereiro de 2021 as 2:49

O professor Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção ao Câncer do hospital, testou um medicamento que ele tem desenvolvido em pacientes com condições moderadas ou graves do vírus. (Foto: Divulgação / Hospital Ichilov)
O professor Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção ao Câncer do hospital, testou um medicamento que ele tem desenvolvido em pacientes com condições moderadas ou graves do vírus. (Foto: Divulgação / Hospital Ichilov)

Um novo medicamento desenvolvido no Hospital Ichilov em Tel Aviv, em Israel, conseguiu curar pacientes com coronavírus (Covid-19) que estavam à beira da morte. A descoberta, anunciada na quinta-feira (4) já está ganhando interesse mundial.

O estudo de drogas de Fase 1 para pacientes com coronavírus foi concluído com 29 de 30 pacientes em condição moderada a grave recebendo alta do hospital em apenas 3-5 dias após o tratamento. O 30º paciente demorou mais para receber alta, mas ainda estava curado.

O medicamento em uso é o EXO-CD24, uma fórmula inovadora à base de exossomos enriquecidos com a proteína CD24, que é dada por aspiração direta aos pulmões para erradicar a tempestade de citocinas resultante do vírus Covid-19.

A Covid-19 apresenta dois estágios principais da doença. O primeiro estágio é semelhante ao da influenza e não requer tratamento específico, apenas cuidados de suporte.

A fase dois ocorre em 5 a 7% dos pacientes, com fatores de risco e é caracterizada pela hiperatividade do sistema imunológico que resulta em uma tempestade de citocinas. Apesar dos esforços intermináveis, não existe nenhum medicamento que se mostre eficaz no tratamento do coronavírus, até este desenvolvimento.

“Mesmo que as vacinas cumpram a sua função, e mesmo que nenhuma nova mutação seja produzida, ainda assim, de uma forma ou de outra, o coronavírus permanecerá conosco. Para isso, desenvolvemos um medicamento único. Um evento sem precedentes. Cerca de seis meses desde o momento em que a ideia foi concebida e a tecnologia foi inventada até ser testada pela primeira vez em humanos, na primeira fase clínica”, disse o Prof. Nadir Arber, um dos médicos e pesquisadores de destaque do hospital, a quem foi confiada a desenvolvimento do medicamento.

“Esta proteína [CD24] está localizada na superfície das células e tem um papel bem conhecido e importante na regulação do sistema imunológico", explicou o Dr. Shiran Shapira, diretor do laboratório do Prof. Arber, que tem liderado a pesquisa na proteína CD24 por mais de duas décadas.

O medicamento é administrado por inalação, uma vez ao dia, por apenas alguns minutos, durante cinco dias.

Arber explicou que a singularidade do medicamento reside no mecanismo duplo que atua para inibir a via que leva à tempestade imunológica e à secreção de múltiplas citocinas.

Sem efeitos colaterais

O medicamento é direcionado diretamente para o coração da tempestade, para os pulmões, de modo que, ao contrário de muitos outros tratamentos no mundo que são administrados sistematicamente e inibem seletivamente uma citocina específica ou agem mais amplamente, mas causam efeitos colaterais graves e múltiplos, EXO-CD24 é administrado topicamente, funciona extensivamente e não tem efeitos colaterais.

“Trata-se de um medicamento avançado, que pode ser produzido com rapidez e eficiência e a um custo baixíssimo, que pode ser produzido em todas as instalações farmacêuticas do país, e em pouco tempo todo o consumo global pode ser suprido”, explica Arber.

O entendimento agora no mundo é que junto com as vacinas é muito importante desenvolver medicamentos adequados para o vírus e “agora há muita atividade de pesquisa sobre o assunto e estou orgulhoso que em Ichilov já agora, um dos primeiros em mundo, estamos trabalhando no campo da pesquisa e talvez trazendo o início de uma mensagem Azul-e-Branco para uma terrível epidemia global”, afirmou o Prof. Roni Gamzo, diretor do Ichilov Medical Center.

Arber disse à Rádio Israel que a primeira fase do estudo foi “bem-sucedida, a droga é totalmente segura e eficaz. Em um ou dois dias, os pacientes sentiram que estavam respirando com facilidade.”

“Estamos inundados com ligações de todo o mundo”, ele compartilhou.

O hospital agora planeja ampliar o tratamento para centenas de pacientes.

 

veja também