Kosovo abre oficialmente embaixada em Jerusalém, após estabelecer relações com Israel

Em troca da abertura da embaixada, Israel reconheceu a independência de Kosovo.

fonte: Guiame, com informações do Guardian

Atualizado: Segunda-feira, 15 Março de 2021 as 8:49

Policiais passam por bandeiras de Kosovo e Israel expostas durante uma cerimônia em Pristina em fevereiro, depois que os países estabeleceram relações diplomáticas. (Foto: Armend Nimani / AFP / Getty Images)
Policiais passam por bandeiras de Kosovo e Israel expostas durante uma cerimônia em Pristina em fevereiro, depois que os países estabeleceram relações diplomáticas. (Foto: Armend Nimani / AFP / Getty Images)

O Kosovo abriu oficialmente sua embaixada em Jerusalém, neste domingo (14), tornando-se o primeiro território de maioria muçulmana a reconhecer a cidade como capital de Israel.

A mudança foi em troca do reconhecimento de Kosovo por Israel, uma grande vitória para os esforços de Pristina para obter o reconhecimento global da independência declarada em 2008, após uma guerra com a Sérvia na década de 1990.

A embaixada foi aberta em uma breve cerimônia durante a qual a bandeira do Kosovo foi erguida e uma placa foi instalada com a menção "República de Kosovo" escrita em albanês, hebraico e inglês, disse o comunicado.

As bandeiras de Kosovo e Israel próximas à entrada da embaixada de Kosovo em Jerusalém, 14 de março de 2021. (Foto: Reprodução / AA)

A decisão do Kosovo foi criticada por vários países muçulmanos, como a Turquia, e pela União Europeia.

A questão de Jerusalém e seu status continua sendo um dos pontos mais espinhosos do conflito israelense-palestino.

Pontos de conflito

O status de Jerusalém continua sendo um dos maiores pontos de conflito no longo conflito israelense-palestino. Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como a capital de seu futuro estado, e a maioria dos países tem suas embaixadas em Tel Aviv.

Em uma das disputas mais intratáveis da Europa, a Sérvia rejeitou a independência de Kosovo desde que estourou em uma guerra de 1998-99 que terminou apenas com um bombardeio da Otan contra as tropas sérvias.

Tanto Kosovo quanto a Sérvia enfrentam crescente pressão do Ocidente para resolver o impasse, visto como crucial para a adesão de ambos os lados à UE. Mais de 13.000 pessoas morreram na guerra, principalmente albaneses de Kosovo, que constituem a maioria na antiga província.

Com 2% de sua população de etnia albanesa, Kosovo fez parte da antiga Iugoslávia e da República da Sérvia.

O Kosovo foi reconhecido por noventa países, vinte e dois dos quais são Estados-membros da União Europeia. Conforme a Constituição aprovada a 9 de Abril de 2008 o Kosovo foi declarado “Estado soberano e independente”.

veja também