Ataque do Boko Haram a aldeia cristã deixa 7 mortos, em Camarões

A Anistia Internacional relata que pelo menos 275 pessoas foram mortas desde janeiro e 225 delas eram civis.

fonte: Guiame, com informações do Barnabas Fund

Atualizado: Segunda-feira, 16 Dezembro de 2019 as 9:18

Terroristas islâmicos do grupo Boko Haram na África Ocidental. (Foto: Reprodução/CBN News)
Terroristas islâmicos do grupo Boko Haram na África Ocidental. (Foto: Reprodução/CBN News)

Sete pessoas foram mortas e 21 crianças e jovens adultos foram sequestrados em mais uma série de ataques devastadores do Boko Haram a vilarejos principalmente cristãos no extremo norte de Camarões, em dezembro.

O tumulto assassino no distrito de Mayo Sava começou em 1º de dezembro, apenas um mês após uma série de ataques semelhantes. Homens armados abriram fogo contra pessoas reunidas em um funeral em Kotserehé, forçando-os a fugir em todas as direções.

Uma testemunha ocular disse: "Foi uma derrota total ... as mulheres fugiram sem poder levar seus filhos com elas".

A Anistia Internacional relata que pelo menos 275 pessoas foram mortas desde janeiro e 225 delas eram civis.

Esse ataque deixou quatro mortos e três feridos. A testemunha acrescentou: "Um lugar de luto se transformou em um teatro de guerra que terminou em carnificina".

Na noite seguinte, três pessoas foram assassinadas e outra ferida quando um grande número de militantes armados invadiu a vila de Zangola. Os extremistas saquearam casas, roubando comida e roupas enquanto os moradores fugiam para salvar suas vidas.

Um contato de Barnabé disse: "Desamparado diante dos terroristas, o povo só tinha olhos para chorar". O exército chegou, mas sua tentativa de perseguir os saqueadores não teve sucesso.

Em outro ataque, também em 1º de dezembro, os militantes causaram grandes danos na vila de Yagoua, saqueando onze casas e despejando alimentos e itens básicos.

A vila de Mbreche foi a próxima a ser atacada. Por volta das 2 horas da manhã de 5 de dezembro, os militantes procuraram de casa em casa e sequestraram 21 jovens - nove eram meninas e doze meninos. Os mais jovens eram três meninas e um menino, todos com doze anos, e os dois mais jovens, com 21 anos. Quatro dos jovens, incluindo uma menina de 13 anos, conseguiram escapar.

Quando a gangue armada fugiu, eles atacaram a vila de Tahert, ferindo uma jovem e roubando uma moto. Pensa-se que os seqüestrados serão forçados a se tornar "soldados" do Boko Haram e lutar em nome dos extremistas.

Em 19 de novembro, um garoto cristão de doze anos foi morto a tiros por resistir à tentativa de militantes de sequestrá-lo como uma "criança-soldado" no distrito de Tourou.

Um contato de Barnabas disse que o exército de Camarões tem uma tarefa muito difícil no combate ao Boko Haram, porque a área é muito vasta e pontilhada de pequenas aldeias isoladas, ligadas por estradas precárias.

Os militantes atacam e depois escapam rapidamente pelas estradas principais bem mantidas de volta à sua base na Nigéria.

veja também