Boko Haram mata 25 cristãos em ataques de porta a porta, na Nigéria

Pelo menos 25 pessoas foram assassinadas após cerco de terroristas do Boko Haram em comunidade cristã da Nigéria.

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Quinta-feira, 2 Maio de 2019 as 10:36

Parentes de cristãos mortos por pastores islâmicos Fulani na Nigéria choram em funeral. (Foto: Emmy Ibu/AFP/Getty Images)
Parentes de cristãos mortos por pastores islâmicos Fulani na Nigéria choram em funeral. (Foto: Emmy Ibu/AFP/Getty Images)

Terroristas do Boko Haram mataram pelo menos 25 pessoas na última segunda-feira (29) após cercarem a comunidade cristã de Kuda, no estado de Adamawa, no nordeste da Nigéria. As informações foram divulgadas nesta quinta (2) pela organização Portas Abertas dos EUA.

De acordo com a Portas Abertas, os terroristas invadiram a comunidade e foram de porta em porta, matando as vítimas. No dia seguinte, eles retornaram.

Enquanto membros da comunidade se preparavam para o funeral de seus entes queridos, militantes do Boko Haram foram vistos se aproximando para um segundo ataque à comunidade. Por causa da ameaça, os preparativos foram abandonados e os moradores enlutados foram forçados a fugir.

Por causa do ataque, moradores de comunidades vizinhas também fugiram da cidade. Líderes cristãos da região disseram à Portas Abertas: “Estamos em perigo e não temos ninguém para lutar por nós, para acabar com essa matança do nosso povo”.

O incidente é o mais recente de uma série de ataques do Boko Haram na região, que se tornou fortaleza para militantes leais a Abubakar Shekau, líder do grupo terrorista. Eles operam em esconderijos nas florestas próximas, roubando suprimentos, matando aldeões e atacando as forças de segurança.

Mais de 27 mil pessoas foram mortas pela sangrenta insurreição do Boko Haram e outras 2 milhões de pessoas foram deslocadas.

Os funcionários de campo da Portas Abertas que atuam na Nigéria pedem orações aos cristãos de todo o mundo: “Ore pela igreja na área de Madagali. Ore para que o Espírito Santo atue na vida de todos aqueles que foram afetados por esses ataques e residentes que lidam com o medo de ataques futuros. Ore com aqueles que saíram da aldeia para encontrar maior segurança. E ore para que a segurança seja restaurada em breve”, pede a organização.

veja também