Com doença terminal, cristão convertido enfrenta prisão no Irã

Um cristão iraniano de 62 anos, que sofre do estágio mais avançado da doença de Parkinson, aguarda para cumprir sua sentença de prisão junto com a esposa, de 42 anos.

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Segunda-feira, 22 Março de 2021 as 3:26

Homayoun, de 62 anos, e sua esposa Sara Ahmadi, de 42 anos. (Foto: Article18)
Homayoun, de 62 anos, e sua esposa Sara Ahmadi, de 42 anos. (Foto: Article18)

A qualquer momento, os cristãos iranianos Homayoun, de 62 anos, e sua esposa Sara Ahmadi, de 42 anos, serão convocados para cumprir suas sentenças de prisão. 

Homayoun, que sofre do estágio mais avançado da doença de Parkinson, foi sentenciado por dois anos, enquanto Sara recebeu uma punição de 11 anos, por pertencer e liderar uma igreja doméstica no Irã.

O casal foi avisado ​​para esperar uma intimação “a qualquer dia” para iniciar suas sentenças de prisão.

O Article18 relata que o casal foi preso em 2019 enquanto estava de férias no condado de Amol, com várias outras famílias cristãs. Embora os outros cristãos também tenham sido interrogados, apenas Homayoun e Sara foram detidos. 

Eles foram detidos em Sari, perto de Amol, e depois levados para a famosa prisão de Evin em sua cidade natal, Teerã. 

Homayoun foi libertado da prisão de Evin um mês depois, mas Sara ficou detida por um total de 67 dias — sendo 33 deles em confinamento solitário. Durante esse tempo, Sara sofreu torturas psicológicas extremas.

A história do casal não é rara. No Irã, onde deixar o Islã é ilegal, os cristãos são espionados, suas casas são invadidas e prisões são garantidas para aqueles que lideraram igrejas domésticas clandestinas. Para evitar a prisão e sua provável morte, os cristãos são frequentemente forçados a fugir do país, deixando tudo o que possuem, para serem refugiados em uma terra estrangeira. 

Falsamente acusado, preso e condenado

Em novembro de 2020, Homayoun e Sara foram julgados e condenados. Um mês depois, eles apelaram da decisão, mas foram rapidamente rejeitados. Em seu apelo, o advogado do casal argumentou que a lei não era "clara" sobre como a reunião com um grupo de cristãos poderia ser interpretada como filiação a uma "organização ilegal".

“Meus clientes sempre insistiram que não se envolveram em nenhuma ação contra a segurança nacional, nem nutrem qualquer animosidade ou hostilidade em relação ao governo”, disse o advogado ao tribunal, acrescentando que o estado de saúde de Homayoun o teria impedido de participar de qualquer ação contra a segurança nacional, mesmo se ele quisesse estar envolvido.

Além da doença de Parkison e da idade avançada, Homayoun também é vulnerável a Covid-19 e seu impacto significativo nas pessoas mais velhas. Até agora, nem ele nem Sara receberam uma vacina contra Covid-19.

No domingo, 14 de março, eles souberam que seu caso havia sido encaminhado ao órgão governamental responsável pela execução das sentenças. O caso deles veio a público há apenas alguns dias, pouco antes do prazo para se apresentarem à prisão.

O diretor de defesa do Article18, Mansour Borji, lembra que o governo do Irã é hostil ao cristianismo e está trabalhando para impedir o crescimento da Igreja no país. 

“Dar uma sentença de prisão a um homem da idade de Homayoun, que sofre de mal de Parkinson avançado — apenas por causa de sua filiação a uma igreja doméstica — seria chocante, se não fosse o histórico comprovado do Irã de perseguir sistematicamente os cristãos de língua persa, independentemente de sua idade, saúde ou quaisquer outras considerações razoávei ​​”, disse Borji.

veja também