Cristão ex-muçulmano é agredido, expulso de casa e ameaçado de morte pela família

Mahabu é o único cristão da família, em Bangladesh, e a perseguição parte dos próprios irmãos, esposa e filhos.

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Quarta-feira, 15 Janeiro de 2020 as 4:25

Oração e comunhão sustentam os cristãos ex-muçulmanos perseguidos em Bangladesh. (Foto: Reprodução/Portas Abertas)
Oração e comunhão sustentam os cristãos ex-muçulmanos perseguidos em Bangladesh. (Foto: Reprodução/Portas Abertas)

Mahabu Rahman, de 43 anos, vivia com a esposa e filhos no Norte de Bangladesh. Ele tem sido maltratado pelos familiares, inclusive irmãos, esposa e filhos, por ser o único seguidor de “Isa” (Jesus em árabe) na família.

Como cristão ex-muçulmano, Mahabu tem enfrentado essa situação há um longo tempo, mas nunca pensou em desistir de alcançar a família com o evangelho.

“Eu tenho orado e continuarei orando por eles, para que um dia conheçam a verdade e aceitem Jesus”, disse Mahabu.

No entanto, a perseguição piorou, pois os familiares começaram a agredi-lo fisicamente.

Recentemente, ele foi expulso de casa e os parentes disseram: “Se você não escolher abandonar a fé em Jesus e voltar ao islamismo, não volte mais para casa. Nós não conhecemos você. Se você voltar, vamos atear fogo em você”.

Mahabu agora está morando com um pastor local e se sente muito frustrado e confuso sobre o que deveria fazer, mas continua muito firme na fé em Jesus.

Bangladesh é um país no Sul da Ásia, região onde estão os maiores países muçulmanos do mundo. Segundo a Lista Mundial da Perseguição de 2020, divulgada pela Portas Abertas, o país ocupa o 38º lugar onde os cristãos enfrentam as maiores dificuldades por causa de sua fé.

Atos frequentes de violência confirmam que o islamismo radical se desenvolveu de uma mera ideologia religiosa ao estabelecimento de redes terroristas.

Bangladesh testemunhou uma transformação perigosa, liderada por grupos religiosos que são semelhantes aos que estabeleceram grupos terroristas no Afeganistão, Paquistão e Oriente Médio. O governo sempre lutou contra esses grupos, mas se recusou a admitir a presença de radicais do Estado Islâmico no país.

A Portas Abertas desenvolve seminários de preparação para a perseguição. Em cada sessão, os cristãos são encorajados a relatar quaisquer incidentes de perseguição que enfrentem.

veja também