Cristãos são queimados dentro de igreja durante vigília na África

Por não conseguirem escapar das chamas, dois cristãos idosos foram mortos.

Fonte: Guiame, com informações do Morning Star NewsAtualizado: quarta-feira, 11 de maio de 2022 15:52
Pessoas tentando apagar as chamas da igreja. (Foto: Daily Express Uganda)
Pessoas tentando apagar as chamas da igreja. (Foto: Daily Express Uganda)

Dois cristãos morreram queimados na quinta-feira passada (5), quando extremistas muçulmanos incendiaram o prédio de uma igreja no sul de Uganda, a cerca de 80 quilômetros da capital, Kampala.

Uma vigília de oração estava acontecendo na Igreja Internacional Ministério da Cura Santa, na cidade de Jinja, quando o templo foi incendiado por volta das 4 horas da manhã. 

Segundo o pastor George Kato, as chamas enfraqueceram a estrutura da igreja, que começou a desmoronar.

“Consegui escapar com outros poucos membros restantes, mas dois fiéis idosos ficaram presos dentro do templo e o fogo os queimou”, disse o pastor ao site Morning Star News.

Ao sair da igreja, o pastor encontrou galões de gasolina perto da porta. “Vi três muçulmanos vestidos com trajes islâmicos longos saindo de lá. Não consegui identificá-los”, relatou.

O pastor disse ainda que muçulmanos extremistas da região vinham acusando os cristãos de serem muito barulhentos em seus cultos e lhes disseram muitas vezes para remover o prédio da igreja.

Um dos dois membros da igreja que morreram foi identificado como Jonathan Kalyecheru, de 70 anos. A identidade da segunda vítima ainda não era clara. 

A Constituição de Uganda prevê a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a própria fé e converter de uma religião para outra. Os muçulmanos não representam mais de 12% da população de Uganda e estão mais concentrados nas áreas orientais do país.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições