Evangélicos etíopes são presos e forçados a deixarem cidade

Autoridades compareceram a uma reunião de estudantes e prenderam um número não revelado de participantes.

fonte: Guiame, com informações do Evangelical Focus

Atualizado: Quarta-feira, 4 Dezembro de 2019 as 12:56

Etíopes evangélicos são pressionados pelas autoridades a deixarem sua cidade. (Foto: Maheder Haileselassie Tadese/AFP/Getty)
Etíopes evangélicos são pressionados pelas autoridades a deixarem sua cidade. (Foto: Maheder Haileselassie Tadese/AFP/Getty)

A polícia da Etiópia prendeu estudantes e líderes da igreja durante uma reunião da Irmandade Etíope de Estudantes Evangélicos (IFES) em Debark, cidade com população estimada em cerca de 25.000 habitantes, que é um território religioso contestado.

As autoridades da região de Amhar compareceram à reunião da IFES e prenderam um número não revelado de participantes, de acordo com fontes locais.  

Em seguida, pressionou os estudantes presos a assinar um acordo para nunca mais se reunirem em Debark e os libertou.

Sete líderes da igreja que participaram da reunião também foram detidos por três dias e liberados após a assinatura de um acordo semelhante.

A Igreja Ortodoxa Etíope dominante considera a região de Debark santa, e a pressão sobre os cristãos protestantes na área vem crescendo há anos.

Em 2008, incendiários destruíram uma igreja e a maioria dos protestantes se mudou para Gonder, uma cidade muito maior, com mais de 150.000 pessoas.

Em maio passado, os membros da igreja em Debark foram ordenados a se mudarem Gonder, que fica a 80 km de distância.

No entanto, a comunidade não se mexeu; eles apresentaram uma reclamação e permaneceram em Debark.

A constituição etíope garante a liberdade religiosa, o que parece proibir a polícia de ordenar que a irmandade evangélica pare de se reunir. Mas a política da Etiópia é cobrada por divisões étnicas e religiosas pronunciadas.

veja também