Igrejas evangélicas são fechadas e sofrem restrições de funcionamento, na Rússia

Autoridades alegam que as igrejas fechadas operam sem aprovação da legislação imobiliária.

fonte: Guiame, com informações do Barnabas Fund

Atualizado: Segunda-feira, 16 Dezembro de 2019 as 1:29

As igrejas evangélicas russas estão sendo alvo das autoridades para fechamento e outras restrições. (Foto: Reprodução/Barnabas Fund)
As igrejas evangélicas russas estão sendo alvo das autoridades para fechamento e outras restrições. (Foto: Reprodução/Barnabas Fund)

A agência cristã Barnabas Fund relata que três igrejas evangélicas na Rússia foram fechadas em processos em que os testemunhos e as conclusões de comissões e exames independentes foram ignorados.

Segundo uma fonte da Barnabas, uma moção foi apresentada contra a Igreja Catedral da Palavra da Vida em Kaluga, em 3 de dezembro, para proibir o funcionamento e tentar demolir o prédio da igreja alegando que os requisitos do Código de Planejamento Urbano de 2004 não haviam sido cumpridos em 2002.

“Como você pode implementar a lei, que será adotada somente após dois anos?”, exclamou o líder da igreja.

Um novo shopping center está planejado para ocupar o terreno, apesar de ter sido comprado pela igreja em 2000.

Desde o seu início, a igreja está sujeita a inspeções constantes, bem como tentativas de instaurar um processo criminal contra o pastor.

Em 26 de novembro, as autoridades proibiram a operação da Igreja da Embaixada de Jesus em Nizhny Novgorod por supostamente "violar as regras de segurança contra incêndio".

A Igreja Evangélica Cristã da Ressurreição de Oryol existe em Oryol em terras que possui desde 1990. No entanto, no início de 2018, as autoridades inspecionaram a igreja e identificaram 78 violações de segurança e outras.

Em maio de 2018, o tribunal emitiu uma decisão para fechar o prédio, apesar de todas as violações serem corrigidas. Em recurso, a decisão do tribunal foi mantida.

Em outubro, os líderes cristãos declararam que estavam preparados para contestar o fechamento da Igreja Batista de Novorossiysk, levando a decisão ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos, a fim de obter esclarecimentos sobre a legislação complexa, contraditória e muitas vezes inconsistentemente aplicada da Rússia em locais de culto.

A cristã Olga Glamozdinova venceu um caso jurídico marcante em 14 de novembro, quando o Tribunal Constitucional da Rússia decidiu que os cultos podem ser realizados em casas particulares.

veja também