Igrejas são atacadas e cristãos espancados em meio a protestos por paz, na Nigéria

Ataques estão acontecendo durante o mês de outubro e já fizeram diversas vítimas fatais.

fonte: Guiame, com informações do Morning Star News

Atualizado: Terça-feira, 27 Outubro de 2020 as 2

Manifestações pacíficas pedem paz, na Nigéria. (Foto: Reprodução / Christian News)
Manifestações pacíficas pedem paz, na Nigéria. (Foto: Reprodução / Christian News)

Após protestos pacíficos iniciados no início deste mês contra tortura e assassinatos cometidos pelas forças do Esquadrão Especial Anti-Roubo (SARS), começou uma série de ataques contra os manifestantes que pediam o fim do SARS (#EndSARS), uma vez que os tiroteios pelas forças de segurança aumentaram as tensões.

Na segunda e terça-feira (19 e 20 de outubro), os líderes cristãos nos estados de Plateau, Kano e Kogi, na Nigéria, conduziram caminhadas de oração de milhares de cristãos em apelos pela paz.

Conforme vários grupos culturais e políticos expandiram os protestos para incluir seus próprios interesses, suspeitos de agitadores muçulmanos aproveitaram o caos para atacar igrejas, disseram as fontes.

No estado de Kogi na segunda-feira (19), após uma caminhada de oração em Anyigba, os cristãos que oravam dentro do Dunamis Christian Center foram atacados por supostos antagonistas muçulmanos, disse um residente da área.

“Uma dúzia de pastores e mais de 400 cristãos estavam orando na igreja quando foram atacados”, disse Friday Adah ao Morning Star News.

O bispo David Sanda, do Dunamis Christian Center, foi ferido em um ataque em Anyigba. (Foto: Reprodução / Morning Star News)

“Assisti com horror quando a violência foi usada contra os cristãos na cidade de Anyigba. Uma caminhada de oração pacífica buscando a ajuda de Deus para nosso país, para que Deus restaurasse a paz e o amor, foi repentinamente recebida com força indevida quando os cristãos foram espancados e alvejados por turbas muçulmanas”, disse Adah.

Os feridos no ataque foram o bispo David Sanda, e os pastores Emma Ibrahim, Silas Edogbo e Samson Ejila da Igreja de Dunamis. Além disso, o prédio da igreja de Dunamis foi danificado, contou Adah.

Na mesma segunda-feira (19) perto de Jos, estado de Plateau, suspeitos de agitadores muçulmanos que se opunham às caminhadas de oração da igreja danificaram o prédio da Igreja Cristã Redimida de Deus (RCCG) em Bukuru, disse a moradora Esther Saleh ao Morning Star News. O prédio está localizado ao longo da rodovia Jos-Bukuru, em uma área com grande população muçulmana.

No estado de Kano, ainda na segunda-feira (19 de outubro), um prédio da Igreja Evangélica Vencendo Todos (ECWA) na área de Sabon Gari da cidade de Kano foi incendiado por supostos agressores muçulmanos, disse a moradora Helen Johnson ao Morning Star News por mensagem de texto.

Ataques violentos

Em meio a um relatório não confirmado de que dois cristãos estavam entre os manifestantes #EndSARS mortos por supostos contramanifestantes muçulmanos na cidade de Kano, Johnson disse que a justiça acabará prevalecendo.

“Se eles os deixarem queimar todas as igrejas e matar os cristãos no estado de Kano, eles não podem parar a caminhada de oração e o protesto #EndSARS, porque Deus está envolvido”, disse Johnson, acrescentando que dois outros cristãos além dos dois manifestantes #EndSARS estavam mortos. “Duas meninas cristãs também foram mortas na área de Sabon Gari da cidade. As meninas foram atacadas por bandidos muçulmanos com facões e punhais.”

Supostos agressores muçulmanos também danificaram o prédio da Igreja Católica de St. Louis na cidade de Kano na segunda-feira (19), disse Johnson. Ele e outro residente da área, Daniel Musa, disseram que na terça-feira (20) os suspeitos também danificaram o prédio da Igreja Católica de St. Thomas na Airport Road em Kano.

Em Jos, no estado de Plateau, supostos agressores muçulmanos na terça-feira (20) apedrejaram o auditório de adoração da Igreja de Boas Notícias da ECWA, quebrando janelas, enquanto um programa da igreja estava em andamento, disse um residente local. Eles também queimaram carros e invadiram lojas na área.

“ECWA Good News, Ahmadu Bello Way, foi atacado esta manhã”, disse Edward Ossai ao Morning Star News em uma mensagem de texto. “Por favor, ore pelos membros que foram afetados”.

Em Abuja, supostos oponentes muçulmanos dos manifestantes #EndSARS atearam fogo no prédio de uma igreja pentecostal na área de Dutse na capital e mataram três cristãos, um deles identificado como Tony Onome, disse a moradora da área Christiana Adamu ao Morning Star News por mensagem de texto.

Onome teria sido morto a facadas no sábado (17). O Morning Star News não conseguiu confirmar de forma independente os motivos por trás de sua morte e se outros cristãos mortos foram atacados por sua fé.

“Também houve ataques contra cristãos em torno da área Apo de Abuja, onde cerca de sete cristãos foram mortos por esses muçulmanos”, disse Adamu.

Mortes

A polícia de Abuja confirmou que sete pessoas foram mortas em Abuja durante ataques relacionados com contraprotestos.

Depois de liderar uma caminhada de oração em Jos no domingo (18), o pastor Isa El-Buba da Evangelical Bible Outreach Ministries, Inc. (EBOMI) foi convocado para interrogatório pelo Departamento de Serviços do Estado da Nigéria (DSS) na terça-feira (20).

Agentes do DSS o interrogaram anteriormente por se manifestar contra a perseguição de cristãos e ataques de pastores muçulmanos Fulani.

Os manifestantes feridos foram levados a um hospital missionário localizado na área para tratamento. A multidão também atacou outra Divisão de Polícia de Eziama, perto da popular junção Bata ao longo da via expressa Aba-Ikot Ekpene.

Soube-se que os jovens furiosos transportaram materiais valiosos da popular esquadra de polícia da zona 6, que albergava a Unidade Dragão da Força sob o Comando do Estado de Abia.

veja também