Leprosos são curados e evangelizam aldeia na Nigéria, abrindo caminho para missionários

A história de evangelização do povo Kamwe é contada por dois tradutores que dedicaram suas vidas para traduzir a Bíblia no idioma deles.

Fonte: Guiame, com informações de Christianity TodayAtualizado: quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022 15:46
Mark Zira Dlyavaghi e Roger Mohrlang trabalharam juntos até concluir a tradução da Bíblia Kamwe.  (Foto: Reprodução/Cortesia de Mark Zira Dlyavaghi/Christianity Today)
Mark Zira Dlyavaghi e Roger Mohrlang trabalharam juntos até concluir a tradução da Bíblia Kamwe. (Foto: Reprodução/Cortesia de Mark Zira Dlyavaghi/Christianity Today)

Cerca de 70 anos atrás, alguns leprosos compartilharam o Evangelho com o povo Kamwe, no nordeste da Nigéria, e muitos na comunidade aceitaram Jesus. Hoje, 95% dos Kamwe professam ser cristãos. 

Quem conta como tudo isso começou são dois homens que dedicaram a vida na tradução da Bíblia para os Kamwe, Roger Mohrlang e Mark Zira Dlvavaghi.

Roger é um americano que passou 38 anos atuando como professor de teologia na Whitworth University, supervisionando o trabalho de tradução. Mark é um nigeriano, o tradutor e coordenador da equipe do projeto. Juntos, eles foram responsáveis por tornar possível a evangelização a milhares de nigerianos.

Leprosos são curados e evangelizam aldeia

Os tradutores contam que primeiro Mark, o nigeriano, encontrou um leproso pregando o Evangelho em sua aldeia — Michika, no nordeste da Nigéria — onde havia uma escola primária cristã. 

Eu conhecia a maioria dos leprosos. Um era meu professor na escola primária. Eles tinham lepra, então ouviram falar de missionários que vieram da América e estabeleceram uma clínica a 100 quilômetros de nossa aldeia”, contou.

“Os leprosos foram curados da lepra ao ouvirem falar do Evangelho. Então, quando eles voltaram para casa, eles foram para as aldeias ensinando as pessoas sobre Cristo. Foi assim que a maioria deles se converteu”, continuou Mark que se converteu em 1975. Ele se formou em teologia e depois foi chamado para trabalhar no  Comitê de Tradução da Bíblia Kamwe. 


Aldeia Kamwe na Nigéria. (Foto: Reprodução/Cortesia de Jean-Paul Becker/Christianity Today)

Deixando a Ciência para ser missionário

Roger, por sua vez, chegou na aldeia de Mark, em 1968. “Meu trabalho como linguista missionário era aprender e analisar a língua, formar um alfabeto e produzir alguns materiais básicos de alfabetização e, especialmente, trabalhar com os cristãos sobre a tradução do Novo Testamento”, lembrou.

Roger já era formado em Física, mas foi influenciado por um professor de Engenharia a dedicar a vida para as Escrituras Sagradas. “Isso mudou toda minha vida”, ele reconheceu. 

Ao concluir seu trabalho, em 1974, Roger se despediu de todos na aldeia com uma grande celebração, sem saber que 6 anos depois seria convocado a retornar. “Recebi uma carta deles dizendo que as 5 mil cópias estavam esgotadas e eles queriam mais 10 mil”, relatou dizendo que ficou muito empolgado na ocasião.

Bíblia completa em Kamwe concluída em 2021

A Bíblia traduzida foi colocada no computador. “Tudo havia sido feito a lápis e máquina de escrever. Voluntários na Inglaterra passaram mil horas digitando tudo, e então eu revisei o Novo Testamento em 1997”, disse Roger.

Dez anos depois, começaram a trabalhar no Antigo Testamento. A Bíblia inteira no idioma dos Kamwe foi concluída só em 2021. “Agora a Bíblia Kamwe está sendo impressa na Coréia. Sinto alívio, alegria e gratidão”, revelou Roger. 

“Tem sido maravilhoso ver todas as boas dádivas de Deus e a maneira que tornou tudo isso possível. Parte da gratidão é o fato de que meus olhos se mantiveram firmes até o fim. Eu tenho degeneração macular. Isso diminuiu lentamente minha visão”, compartilhou.


Família nigeriana lendo a Bíblia Kamwe. (Foto: Reprodução/Cortesia de Jean-Paul Becker/Christianity Today)

“Estou muito feliz agora porque o trabalho está pronto. Estamos aliviados depois de anos sentados, trabalhando, viajando. Mas, continuarei a investir na obra de Deus até morrer”, disse Mark.

Vale citar que os envolvidos na tradução da Bíblia Kamwe enfrentaram várias dificuldades, incluindo ameaças e ataques terroristas do Boko Haram e dos Fulani. Muitos foram deslocados e perderam seus bens. 

Mas eles continuam firmes e em oração. “Estamos orando para que os Kamwe estejam mais unidos, que também mantenham a fé e usem a Palavra de Deus dia após dia, para que possam ser mais fortes para resistir a quaisquer inimigos que estejam enfrentando e possam enfrentar qualquer prova e a tentação está por vir”, concluíram.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições