Meu alívio é ter a promessa do céu, diz mãe que perdeu filho no Sri Lanka

Os atentados do domingo de Páscoa mataram pelo menos 253 pessoas, segundo revisão do governo do Sri Lanka.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Sexta-feira, 26 Abril de 2019 as 10:25

Mulher chora durante funeral de uma das vítimas do ataque do domingo de Páscoa no Sri Lanka. (Foto: Getty Images/Carl Court)
Mulher chora durante funeral de uma das vítimas do ataque do domingo de Páscoa no Sri Lanka. (Foto: Getty Images/Carl Court)

Mais de 100 famílias foram afetadas pelos atentados do domingo de Páscoa no Sri Lanka. Vinte e nove membros da igreja de Sião foram mortos. O número de mortos foi reduzido de 359 para 253, após uma revisão divulgada pelo governo nesta sexta-feira (26).

Entre os mortos estão 28 membros da Igreja de Sião, em Batticaloa, na costa leste do país. O número de vítimas poderia ter sido maior, caso um dos fiéis, Ramesh Raju, não tivesse impedido o homem-bomba de entrar no templo.

Por causa da explosão, que aconteceu na parte externa da igreja, 12 crianças ficaram entre as vítimas. Uma delas era Shalom Malkiya, de 11 anos, filho do pastor Ganeshamoorthy Thirukumaran.

“Eu sofro com a perda do meu filho, que nunca teve a chance de experimentar muita vida neste mundo”, disse a esposa de Thirukkumaran. “Ele era um filho feliz que nunca disse nada ruim, que tinha muitos amigos e poucos inimigos — se existia algum”.

“Esses assassinos abalaram nossa paz e deixaram nossa família e muitas outros em grande aflição, embora não tenhamos feito nada para prejudicar. Vi muitas crianças morrerem enquanto eu trabalhava na escola dominical e essas imagens ficarão para sempre em mim”, ela acrescentou.

No entanto, a esposa do pastor é consolada pela esperança da eternidade: “Agradeço a Deus que verei meu filho novamente por causa da promessa do céu e oro para que ninguém mais tenha que sofrer a perda profunda que eu tive que suportar”.

A Associação Cristã Paquistanesa Britânica está apoiando a família com o custo do funeral de seu filho e na recuperação do trauma.

Contexto

Nove homens-bomba atacaram hotéis e igrejas na área de Colombo e Batticaloa. A maioria das vítimas era do Sri Lanka, mas entre os mortos havia cidadãos de outros 12 países.

A polícia continua investigando outros sete suspeitos de ligação com as explosões, atribuídas ao grupo extremista National Thowheed Jamath (NTJ). Mais de 70 pessoas foram presas.

O governo do Sri Lanka investiga a participação de integrantes outras facções. O Estado Islâmico chegou a reivindicar os atentados, mas não há provas do envolvimento do grupo terrorista.

Segundo censo nacional de 2012, a maioria da população de  21 milhões de pessoas do Sri Lanka (mais de 70%) professa fé budista. Estima-se que cerca de 7% seja cristã, sendo que destes, cerca de 82% são católicos apostólicos romanos. Além disso, 12,6% são hinduístas e 9,7% muçulmanos.

Segundo a organização Portas Abertas, o número de cristãos mortos por intolerância religiosa no país mais que triplicou desde 2012: saltou de 1201 para 4136, em 2018. Mesmo assim, o Sri Lanka ocupa apenas a 46 colocação na lista dos 50 países onde é mais difícil ser cristão.

veja também