Países que perseguem a Igreja: como vivem os cristãos na Tunísia

A maioria dos cristãos tunisianos prefere esconder a fé em Cristo para evitar hostilidade e violência por parte da própria família.

fonte: Guiame, com informações de Portas Abertas

Atualizado: Terça-feira, 9 Março de 2021 as 8:34

Entre os tunisianos prevalece a perseguição por pressão islâmica e opressão do clã.
Entre os tunisianos prevalece a perseguição por pressão islâmica e opressão do clã.

POPULAÇÃO: 11,9 milhões 
CRISTÃOS: 23,1 mil 
RELIGIÃO: Islamismo 
GOVERNO: República parlamentarista 
LÍDER: Kaïs Saïed
POSIÇÃO: 26º na Lista Mundial da Perseguição

Tunísia é um país da África do Norte e pertence à região Magrebe. Quase 40% do território é ocupado pelo deserto do Saara. O clima de perseguição é realmente quente por lá, com altos níveis de pressão para a igreja de Cristo.

A maioria dos cristãos ex-muçulmanos preferem esconder a nova fé para evitar a hostilidade da família. Reuniões entre irmãos, adoração e comunhão são praticamente impossíveis. Os serviços de segurança da Tunísia estão sempre em ação. 

Por causa da identidade cristã muitos enfrentam o abandono da família e amigos, instabilidade no trabalho e passam a ser vítimas de abuso verbal, mental e físico.

“Minha família ainda acha que sou muçulmana. Só minha mãe sabe que sou cristã e ela aceita. Meu pai não sabe nada sobre isso. Ele é um bom homem, mas de vez em quando mostra sua outra face. Nunca se sabe como ele reagirá se eu disser que sou cristã”, Islèm (nome fictício por questões de segurança) cristã perseguida no Norte da África.

Tipos de perseguição aos cristãos na Tunísia

Entre os tunisianos prevalece a opressão islâmica e opressão do clã. Os ataques podem ocorrer por líderes religiosos não cristãos, quadrilhas, oficiais do governo, líderes de grupos étnicos e partidos políticos. Extremistas islâmicos violentos também estão ativos nas áreas fronteiriças ao Sul. Eles terão como alvo qualquer cristão, estrangeiro ou não, se a oportunidade surgir.  

As mulheres e meninas cristãs estão particularmente sujeitas ao assédio sexual, violência doméstica, expulsão da família e casamento forçado. A principal fonte de perseguição para as mulheres na Tunísia vem do homem principal da família. Para uma mulher casada, é o marido ou noivo. 

A conversão do islã é proibida, e uma mulher cristã ex-muçulmana corre o risco de ser excluída pela família e comunidade e sofrer violência física ou assassinato de honra se a nova fé for descoberta.  

Outra forma de punição para aquelas que se decidem por Cristo é prisão domiciliar e abuso sexual, até mesmo por membros da família. Mulheres casadas convertidas podem enfrentar divórcio forçado e perder a guarda dos filhos.   

Homens cristãos ex-muçulmanos enfrentam intimidação, espancamentos e ameaças de morte. Eles trazem vergonha à família quando deixam o islã e, portanto, são suscetíveis ao isolamento.  

Eles também podem enfrentar a perda de emprego e o acesso aos círculos sociais. Além disso, quando um homem cristão é perseguido na Tunísia, a família se torna vulnerável e fica sem proteção.

veja também