Partido Comunista Chinês está reescrevendo a Bíblia e cita Jesus como pecador

A nova tradução, que iniciou em 2019, pretende reformular as Escrituras para apoiar o regime comunista.

Fonte: Guiame, com informações de FaithwireAtualizado: sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022 19:44
A nova tradução pretende reformular as Escrituras para apoiar o regime comunista. (Foto: The Voice of the Martyrs Korea).
A nova tradução pretende reformular as Escrituras para apoiar o regime comunista. (Foto: The Voice of the Martyrs Korea).

O Partido Comunista Chinês (PCC) está reescrevendo a Bíblia e chegou a citar Jesus como um pecador em passagem dos Evangelhos. De acordo com a Voz dos Mártires (VOM), a nova tradução, que iniciou em 2019, pretende reformular as Escrituras para apoiar o regime comunista da China

O projeto de reformulação levará cerca de 10 anos para ser finalizado e vai incluir princípios budistas e confucionistas à Palavra de Deus. 

“O PCC anunciou planos de ‘atualizar’ a Bíblia para acompanhar os tempos. As revisões incluirão a adição de 'valores socialistas centrais' e a remoção de passagens que não refletem as crenças comunistas”, afirmou Todd Nettleton, porta-voz da VOM, uma organização cristã que monitora a perseguição no mundo, em entrevista ao Faithwire.

Em um livro didático do ensino médio do governo, lançado em setembro de 2020, a passagem bíblica de João 8 apareceu modificada, conforme a nova tradução comunista. O capítulo do Evangelho de João relata a história da mulher pega em adultério e levada até Jesus pelos fariseus para ser apedrejada, mas que é perdoada pelo Senhor. 

Na versão alterada pelo PCC, o texto afirma: “Quando todos saíram, Jesus apedrejou a própria mulher e disse: 'Eu também sou um pecador'”.

O relato falso e antibíblico ataca uma verdade central na divindade de Jesus Cristo. “Em certo sentido, é tão arrogante pensar: 'Vou reescrever a história de Jesus'. Mas então você pensa em negar a divindade de Cristo. Se Jesus é um pecador, então ele não é Deus”, disse Nettleton.

Segundo o porta-voz, o objetivo do governo chinês em diminuir o Evangelho é colocar o regime comunista no lugar de Deus na devoção dos chineses. “É sempre uma questão de controle. Eles veem a mensagem cristã como algo que tiraria o controle do partido comunista”, explicou.

Em vez de os cidadãos jurarem fidelidade a um Deus amoroso e servirem a Jesus, Nettleton afirmou que o propósito do governo é que os cidadãos acordem todos os dias e digam: “Como posso servir ao partido hoje? Como posso ser um bom comunista hoje?”.

A herética reescrita da Bíblia é mais uma das muitas tentativas da China em reprimir a fé cristã. Com o controle cada vez maior das igrejas no país, o governo tem empurrado o comunismo para dentro das denominações registradas.

Imagens de Jesus já foram retiradas de igrejas e, em alguns casos, substituídas por fotos do ditador Xi Jinping. Os louvores também foram substituídos por hinos do partido comunista, segundo Todd Nettleton.

“Esta nova tradução socialista da Bíblia é apenas mais um passo para o Partido Comunista Chinês, enquanto eles tentam controlar a igreja e realmente usar o cristianismo como meio de controlar as pessoas para servir aos interesses do Partido”, concluiu Nettleton.



Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições