Pastor é livrado de ataque enquanto se ajoelha para orar

Homens armados entraram na igreja do pastor Fabian para matá-lo, mas não o encontraram ajoelhado em oração.

fonte: Guiame, com informações da Voz dos Mártires

Atualizado: Quarta-feira, 27 Março de 2019 as 6:19

Imagem ilustrativa. Pastor foi livrado de ataque enquanto orava ajoelhado. (Foto: StockPhotos)
Imagem ilustrativa. Pastor foi livrado de ataque enquanto orava ajoelhado. (Foto: StockPhotos)

O pastor Fabian ministra ao longo da violenta fronteira entre Colômbia e Venezuela, uma região que se tornou a travessia de guerrilheiros e grupos paramilitares. Por causa de sua atuação religiosa, Fabian se tornou alvo de ameaças de morte, mas continuou perseverando na missão de pregar o Evangelho.

Certa manhã, no início deste ano, Fabian se ajoelhou para orar dentro da igreja que lidera. Ele relatou à organização Voz dos Mártires que ele normalmente se senta no banco da frente em seu momento de oração, mas naquela manhã ele sentiu que deveria se ajoelhar-se no altar.

O pastor se ajoelhou atrás de um banner que tinha sido colocado na parte da frente da igreja, para os cultos da semana. Enquanto orava, dois homens com metralhadoras entraram repentinamente no templo. Ele ouviu os pistoleiros conversando sobre seus planos para matá-lo.

Os homens procuraram por Fabian, mas não o encontraram ajoelhado atrás do banner no altar. Amaldiçoando sua má sorte, eles saíram da igreja.

Mesmo depois da tentativa de assassinato, o pastor pretende permanecer na região para continuar servindo o seu povo. Ele garante que Deus o chamou para estar ali. “Além disso, eu sou velho e estou disposto a morrer, se chegar minha hora”, afirmou.

O governo da Colômbia assinou um “acordo de paz” com os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em 2016, mas o trato não trouxe fim à violência. Pastores e suas famílias ainda são vistos como alvo por conduzirem as pessoas a Cristo, o que impede que elas sejam adeptas a um grupo de guerrilha ou participem do tráfico de drogas.

Em entrevista ao Guiame, Jasar, que atuou como guerrilheiro das Farc por 23 anos, contou que a inspiração marxista-leninista do grupo faz com que os cristãos sejam vistos como pessoas inúteis.

“A guerrilha enxerga os cristãos como pessoas que não servem para nada, porque os cristãos não concordam com os princípios revolucionários. Os guerrilheiros são ateus e materialistas — dizem que não existem espírito e alma, que as pessoas quando morrem viram simplesmente adubo”, disse Jasar.

Além das divergências em relação à religiosidade, Jasar revelou que outro que torna a Igreja inimiga da milícia é que “os filhos dos cristãos não servem para serem guerrilheiros, então por isso eles dizem que os cristãos são inúteis”.

veja também