Pastor é preso após denunciar demolição de igreja por autoridades, em Cuba

O pastor Alain Toledano fez uma transmissão ao vivo, denunciando a demolição de uma igreja das Assembleias de Deus, em Santiago de Cuba.

fonte: Guiame, com informações da Christian Solidarity Worldwide

Atualizado: Terça-feira, 3 Novembro de 2020 as 11:43

O pastor Alain Toledano (direita) denunciou a demolição da Igreja das Assembleias de Deus, em Santiago de Cuba. (Imagem: Facebook)
O pastor Alain Toledano (direita) denunciou a demolição da Igreja das Assembleias de Deus, em Santiago de Cuba. (Imagem: Facebook)

Na madrugada da última sexta-feira, 30 de outubro, as autoridades cubanas da cidade de Santiago de Cuba se mobilizaram para demolir uma igreja que está sob ameaça desde 2015. Um pastor proeminente de outra igreja que estava registrando a demolição foi detido pela polícia cubana e permanece sob custódia .

A Segurança do Estado de Cuba, acompanhada de máquinas pesadas, incluindo escavadeiras, chegou ao local por volta das 7h30 e começou a tentar limpar a área localizada no bairro Abel Santamaria, em Santiago de Cuba. Testemunhas disseram à Christian Solidarity Worldwide (CSW) que as autoridades planejavam demolir a Igreja das Assembléias de Deus, bem como as casas de alguns de membros da igreja, que estavam localizadas na propriedade.

As Assembleias de Deus são um dos maiores grupos religiosos de Cuba e são legalmente reconhecidas pelo governo.

O pastor Alain Toledano, um líder proeminente de uma denominação não registrada, o Movimento Apostólico, e que mora no mesmo bairro, foi ao local para registrar o ataque do governo à igreja. Ele transmitiu um vídeo ao vivo pelo celular no Facebook. Enquanto filmava, o pastor foi abordado e fisicamente apreendido por homens à paisana. O telefone foi jogado no chão e antes que a transmissão fosse interrompida, o som de escavadeiras podia ser ouvido enquanto membros da igreja cantam ao fundo.

O pastor Toledano foi levado pela polícia cubana à Delegacia de Polícia Motorizada e está incomunicável desde as 8h da manhã.

As autoridades cubanas afirmam que a igreja, que está sob a liderança do reverendo Fausto Polemo, seria demolida para dar lugar a trilhos de trem. Porém, fontes da CSW questionaram isso, observando que a igreja é o único prédio no bairro que foi destruído e que sempre foi alvo do governo.

Histórico

Funcionários dos Departamentos de Planejamento Físico e Habitação de Cuba tentaram demolir a igreja pela primeira vez em 2015, mas recuaram depois que membros da igreja e outras denominações, liderados pelo reverendo Polemo, realizaram uma manifestação pacífica no prédio. Na mesma época, os funcionários do governo também ameaçaram confiscar as casas das pessoas que moram na propriedade.

O pastor Toledano também tem sido um alvo do governo desde o início de seu ministério, em 2003. Nos últimos 15 anos, sua igreja foi demolida duas vezes. Em 2019, ele foi incluído na lista dos "regulados", que são cubanos proibidos de viajar para o exterior. Ele também foi intimado pela polícia dezenas de vezes e foi alertado de que havia sido aberto um processo criminal contra ele.

O CEO da CSW, Scot Bower, disse: “A CSW está profundamente preocupada com os eventos desta manhã. Condenamos veementemente a demolição da Igreja das Assembleias de Deus e o despejo dos membros da igreja. Esta igreja está na mira do governo cubano desde 2015 e sua destruição arbitrária é uma grave violação da liberdade de religião ou crença”.

“As ações do Pastor Alain Toledano esta manhã demonstraram solidariedade interdenominacional e elogiamos sua coragem em testemunhar os ataques do governo ao reverendo Fausto Polemo e aos membros de sua igreja. Apelamos às autoridades cubanas para que libertem imediatamente o Pastor Toledano e parem de atacar ele e sua família”, acrescentou.

veja também