Pastor sequestrado, que fez vídeo tranquilizando a família, é decapitado pelo Boko Haram

Os terroristas divulgaram um vídeo uma semana após a captura de Andimi, mostrando-o no cativeiro.

fonte: Guiame, com informações do Faithwire

Atualizado: Terça-feira, 21 Janeiro de 2020 as 4:37

Lawan Andimi no cativeiro após ter sido sequestrado pelo Boko Haram. (Foto: Reprodução/Faithwire)
Lawan Andimi no cativeiro após ter sido sequestrado pelo Boko Haram. (Foto: Reprodução/Faithwire)

O pastor Lawan Andimi, membro sênior da Associação Cristã da Nigéria (CAN), foi decapitado pelos terroristas do Boko Haram nesta segunda-feira (20), de acordo com o jornalista veterano e especialista em terror islâmico Ahmad Salkida.

“Quebrar algumas notícias pode traumatizar. Estou lutando com um desses", Salkida tuitou.

“O reverendo Andimi, sequestrado pelo BokoHaram, foi executado ontem. O Rev. Andimi era um líder da igreja, pai de seus filhos e da comunidade que ele serviu. Minhas condolências vão para a família dele”, escreveu Salkida.

Após sua apreensão no estado de Adamawa, em 2 de janeiro, o pastor Andimi divulgou um vídeo exortando sua família a não "sentir pesar por ele, pois a vontade de Deus deve ser respeitada".

"Pela graça de Deus, estarei junto com minha esposa, filhos e colegas", acrescentou. "Não chore, não se preocupe, mas agradeça a Deus por tudo."

Respondendo às notícias da morte do pastor Andimi, o executivo-chefe da Christian Solidarity Worldwide, Mervyn Thomas, estendeu suas "mais profundas condolências à sua família, amigos e denominação".

“Como cristãos, sabendo que existe vida após a morte, valorizamos o presente desta vida e nos unimos ao luto por um homem incomumente corajoso, que apesar de conhecer a morte era uma perspectiva muito real, manteve uma fé calma e profunda que continuará a inspirar por gerações”, disse ele ao Christian Today.

Na semana passada, a CSW pediu ao governo do Reino Unido para manter conversações com o presidente nigeriano Muhammadu Buhari durante sua visita nesta semana, à luz de "um pico de violência e sequestros" no país.

As notícias sobre a morte de Andimi surgem apenas uma semana depois que o Estado Islâmico na África Ocidental (ISWAP) divulgou imagens horríveis de uma criança soldado matando um cristão.

De acordo com os meios de comunicação locais, o ISWAP assassinou cerca de 11 cristãos em dezembro do ano passado, supostamente para "vingar" a morte do líder do ISIS, Abu Bakr al Bagdadi, que foi morto durante um ataque liderado pelos EUA em outubro.

veja também