Precisamos com urgência de um movimento missionário no Japão, diz pastor

Hiraoka Shuuji falou ao Guiame durante a Conferência Kingdom Movement, que reuniu brasileiros e japoneses para clamar por avivamento.

fonte: Guiame, Marcos Corrêa

Atualizado: Segunda-feira, 6 Maio de 2019 as 10:07

Pastor Hiraoka Shuuji (direta) alerta para a urgência de um movimento missionário no Japão. (Foto: YouTube/Reprodução)
Pastor Hiraoka Shuuji (direta) alerta para a urgência de um movimento missionário no Japão. (Foto: YouTube/Reprodução)

Há cerca de quatro anos, o pastor Hiraoka Shuuji deixou de pastorear sua igreja local para se tornar um evangelista itinerante por todo o Japão e outros países da Ásia — o que vem fortalecendo ainda mais a chama missionária que sempre existiu em seu coração.

O líder cristão foi um dos preletores da Conferência Kingdom Movement e falou com exclusividade ao Guiame sobre como ele vê alguns dos principais desafios do Evangelho no Japão e a relevância de um evento como esse, que tem reunido brasileiros e japoneses para clamarem por avivamento.

Desafios missionários

Segundo o pastor Hiraoka, o isolamento entre as denominações no Japão é algo que prejudica muito o avanço do avivamento.

"Um dos principais problemas das igrejas japonesas é que elas não conseguem estabelecer comunhão entre denominações diferentes. Então, nós precisamos ter um movimento de oração interdenominacional", explicou. "A oração não pode ficar em só uma denominação, ela precisa sobressair".

Ele também chamou a atenção para a necessidade de um forte movimento missionário no Japão, apesar da notável qualidade de vida que os cidadãos japoneses têm atualmente.

"Eu acredito que seja necessário com urgência exatamente um movimento missionário, não no estilo antigo. O que nós precisamos é evangelizar com louvores, por exemplo. Se houver um evangelista com um dom específico que pudesse vir ajudar as igrejas japonesas, seria muito bom", explicou.

"Em 2030, a Igreja chinesa vai duplicar, alcançando 130 milhões de cristãos. Já a igreja no Japão, em 2030, vai diminuir 50%. Este é um problema muito grande, por isso nós temos que orar com muita força", acrescentou.

Ao que tudo indica, a conferência Kingdom Movement já foi uma resposta ao clamor de Hiraoka.

"Eu acho maravilhoso, porque os brasileiros têm uma alegria, um calor que os japoneses não têm. Eu vou a algumas igrejas brasileiras aqui no Japão e quando eu entro nelas, tenho que apertar um botão na minha cabeça para me acostumar, porque os japoneses são muito quietinhos. Eu quero que os brasileiros tragam mais desse calor ao Japão inteiro", declarou.

Propósito

Hiraoka Shuuji é pastor há 45 anos e há 4 atua como evangelista itinerante, realizando cerca de 270 cultos e visitando mais de 140 igrejas todos os anos.

Ele explicou que leva consigo cantores gospel para acompanhar suas pregações, mas não recebe ofertas de nenhuma das congregações que visita. Todo o projeto é sustentado pela Igreja Batista de Hashimoto, atualmente pastoreada por seu filho.

"Esta é a minha obra agora, quase todos os dias estou louvando ao Senhor", explicou.

A conferência Kingdom Movement contou com a ministração dos pastores brasileiros Claudio Duarte e Luciano Subirá, com suas esposas Mary Duarte e Kelly Subirá. 

Também esteve presente o pastor Elias Marcelo Caetano, diretor da Missão Mãos Estendidas (MME), que tem mais de 350 centros infantis e igrejas espalhados pela África. A organização missionária está presente no Japão através de seus representantes no país, Bruno e Nali Hamamoto.

veja também